Atualmente, as principais editoras estão acompanhando ideais igualitários e incorporar personagens diversificados em suas histórias. Desde os super-heróis até figuras marcantes, é possível ver uma nova perspectiva de vida e união. Por isso, vamos apresentar HQs com representatividade e visibilidade.

1. Miss Davis

Sybille Titeux de la Croix e Amazing Ameziane recontam a trajetória da consagrada ativista e filósofa norte-americana. Ícone do feminismo e do movimento negro, na forma de história em quadrinhos. O livro retoma a trajetória de Angela Davis desde sua infância, vivida em parte no estado do Alabama. Incluindo suas vivências como filha de pais que faziam parte da Associação Nacional Para o Progresso das Pessoas de Cor em um estado ainda sob segregação. Posteriormente, em Nova York, onde as leituras comunistas influenciaram de forma definitiva sua formação intelectual e política. Ainda narra a participação de Davis no partido “Panteras Negras”. Devido a isso, entrou na lista dos mais procurados do FBI.

2. Laura Dean vive terminando comigo

Por que não ter um drama LGBTQUIA+ ?! O enredo é focado na estudante Freddy Riley que não consegue acreditar que a linda e popular Laura Dean a escolheu como namorada. Tudo seria flores se “parceira” não mantivesse com Freddy um namoro confuso, cheio de altos e baixos. Além da protagonista, temos uma visão completa sobre relacionamento abusivo.

Leia nossa resenha: LAURA DEAN VIVE TERMINANDO COMIGO, DE MARIKO TAMAKI E ROSEMARY VALERO-O’CONNEL

3. As Empoderadas

Criada exclusivamente por mulheres, a HQ faz parte do selo Pagu Comics e conta a história de três paulistas que se tornam super-heroínas após acontecimentos estranhos na cidade. A obra brasileira foi feita exclusivamente para a plataforma de streaming digital Social Comics. Em parceria com a Editora Cândido, com o objetivo de fomentar a produção de quadrinhos brasileiros feitos por mulheres.

4. Batwoman

Sim, teremos uma represente do mundo dos super-heróis. Afinal, não tem como não falar dessa personagem que esbanja empoderamento. Originalmente criada para contrapor o Batman lá em 1950, a atual Batwoman está longe da ultrapassada heteronormatividade. Polêmica, a moça já nasceu metendo o pé na porta ao ser expulsa do exército, após querer assumir sua homossexualidade. Um dos momentos marcantes de sua história, foi quando ela protagonizou o primeiro pedido de casamento lésbico na história dos quadrinhos. Hoje, a heroína possui sua série própria, que pode ser vista na HBO.

5. Bendita Cura

Criado por Mário César Oliveira, teve seu primeiro volume financiado pelo Cartarse e lançado em 2018 pela editora Entre Quadros. Com as cores da bandeira trans e bi, usadas de forma predominante na produção da narrativa, nós somos apresentados a Acácio. Esse menino homossexual cresce em meio a ditadura no Brasil e com pais cristãos. Com esse contexto, vemos um pouco de tudo na vida do jovem.

Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO FILMES DE ANIMAÇÃO QUE TAMBÉM SÃO COMÉDIAS ROMÂNTICAS LIVROS SOBRE MITOLOGIA GREGA, ALÉM DE PERCY JACKSON LIVROS QUE LEMBRAM “TODOS MENOS VOCÊ” ONDE ASSISTIR OS INDICADOS AO OSCAR 2024? LANÇAMENTOS DA EDITORA ALT EM 2024 Livros que serão adaptados em 2024 Contos natalinos para você ler no Kindle Unlimited Willy Wonka: Conheça as versões do personagem