...
Tudo sobre o filme The Prom

Nova estreia da Netflix, o musical The Prom

Ryan Murphy é um sujeito que ama trabalhar em projetos em envolvem diversidade e inclusão. Mas The Prom- A Festa de Formatura é o primeiro filme dirigido pelo famoso produtor para a Netflix. A escolha de tal projeto é ousada. Tudo começa com um musical, de mesmo nome, que ficou apenas um ano em cartaz na Broadway, apesar dos elogios da imprensa.

É claro que era absolutamente natural que a adaptação do sucesso da peça caísse em suas mãos. Pois tem todos os elementos que estão no seu DNA. Ou seja, a narrativa sobre tolerância, a linguagem musical, divas hollywoodianas no centro dos holofotes e o inevitável final feliz. As histórias que ele conta se comunicam com uma América democrata. Além da tentativa de sensibilizar o pensamento conservador (que está em plena ascensão).

Não esqueça de olhar também: LIVRO X FILME: THE PROM A FESTA DE FORMATURA

 Mas o longa realmente funciona ou é uma peça cinematográfica?!

Tudo sobre the Prom a festa de formatura
Emma Nolan em “The Prom- a festa de formatura”

A história do filme não tem nenhuma intenção de reinventar a roda, pois recebe a mesma carga clássica dos filmes do gênero. Já sabemos que tudo vai dar certo e que os maus vão se redimir no final. Porém, é disso que estamos indo atrás quando nos sentamos na poltrona para ver um filme como esse. Afinal, em 2020, tudo que o público mais precisa é de escapismo.

A história acontece por causa de Emma (Jo Ellen Pellman), uma jovem lésbica que deseja levar sua namorada ao baile de formatura da escolha. No entanto, o evento é cancelado, quando um grupo de pais conservadores descobrem sua vontade. Tal polêmica chama a atenção de quatro atores da Broadway, vividos por Meryl Streep, Nicole Kidman, James Corden e Andrew Rannells. Esse grupo incrível decide ajudá-la, a fim de ganhar boa publicidade e revitalizar suas carreiras.

A obra possui todos os elementos de drama e glamour quando pensamos em Broadway, junto com o humor absurdo. Então, junta-se com Ryan Murphy, que não é conhecido por sua sutileza. Quem já viu Glee vai reconhecer algumas características da série neste filme. Tanto em enquadramentos fechados, quanto em montagens ou exageros de suas performances.

Quem não é fã do gênero pode ficar incomodado com a falta de “respiros” dentre os números musicais. Ou, talvez, algumas conveniências clichês do gênero. Pelo lado positivo, a ostentação colorida de Murphy funciona para a história, cheia de canções animadas escritas por Chad Beguelin e Matthew Sklar. Ele sabe fazer grandes sequências elaboradas como “Tonight Belongs to You” e “Love Thy Neighbor”. Mas, também traz algo criativo para uma performance intimista como a tocante “Unruly Heart”.

Um elenco de peso:

Filme "The Prom a festa de formatura"
Meryl Streep, Nicole Kidman, James Corden e Andrew Rannells em “The Prom- A festa de Formatura”

Outra coisa que o diretor sabe fazer é reunir um bom elenco. Jo Ellen Pellman e Ariana DeBose são revelações que entregam humanidade no meio de uma história tão purpurinada. Andrew Rannells é hilário e Keegan-Michael Kay surge com uma nova faceta. Além disso, ver Nicole Kidman num papel tão  livre é um sopro de ar fresco. Mas nada se compara em assistir Meryl Streep em um longa musical. É quase como trazer o melhor dos espetáculos da Broadway e do cinema na mesma cena. Vivendo uma atriz completamente narcisista, ela claramente se esbanja na personagem, com uma presença magnética e divertida.

Incluindo que existem dois atores que me chamaram atenção por viverem personalidades únicas e bastante complexas. Kerry Washington é a mulher por trás da perseguição a Emma, uma conservadora extremada. Uma estratégia bem interessante para viver uma personagem com posições como aquelas. O mesmo acontece com James Corden, que tem um papel extremamente importante durante o longa. Ele vive Barry, parceiro de cena e amigo de Dee Dee Allen. Depois do fracasso de Cats, Corden buscava por redenção e acabou entregando bons números musicais. Assim como uma interpretação honesta de um narcisista da Broadway que reencontra a própria história quando chega em Indiana.

Conclusão:

É inegável a importância de The Prom com sua mensagem de aceitação, mostrando as consequências do preconceito em duas jovens que só querem dançar juntas. No final das contas, é um filme divertido para os fãs de musicais, mesmo que a sutileza seja jogada para escanteio por 90% de sua duração. E nunca podemos reclamar de um filme que traz Meryl Streep cantando e dançando. A arte foi a principal responsável por tornar essa pandemia menos dolorida para todos. A produção foi feita para ser o local de fuga e para se comunicar com o coração. É um sinal de esperança no final do túnel.

 

Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO