...
Veja mais de

Sendo a nossa primeira resenha do ano, venha conferir tudo da obra, “Os Sete Maridos de Evelyn Hugo”, de Taylor Jenkins Reid. Lançado pela Editora Paralela, temos uma história sorrateiramente cativante e que nos leva a profundas reflexões sobre amor, humanidade, machismo, preconceito e o papel da mídia na exposição de mulheres. Por isso, veja mais de “Os Sete Maridos de Evelyn Hugo”:

Narrativas que se conectam:

Veja mais de "Os Sete Maridos de Evelyn Hugo”, de Taylor Jenkins Reid

Em primeiro lugar, conhecemos Monique e sua situação atual. A jornalista está passando por um divórcio recente e sofrendo com a separação quando começa o trabalho com Hugo. Então, a partir da entrevista, a narrativa, em primeira pessoa, se desloca para o passado da atriz e faz dela a grande protagonista do livro. Ainda assim, as narrativas continuam se intercalando, sendo a do presente sempre na voz de Monique. O que tanto permite que o leitor observe as mudanças que o contato com Hugo causa nela. Sendo que também garanta muitas das quebras no discurso de Evelyn que são essenciais na construção dos clímax e na manutenção da curiosidade de quem lê.

Além disso, os capítulos são estruturados conforme as entrevistas e nomeados com a identidade de cada um de seus ex-companheiros. Mas, nos direcionam para algo ainda maior do que apenas o envolvimento com cada um desses homens. Afinal, o enredo acaba expondo o preço pago pela atriz para chegar ao seu objetivo, mostrando quantas vezes precisou negar sua história e identidade para alcançar o mais absoluto sucesso.

Uma atriz misteriosa e complexa:

Veja mais de "Os Sete Maridos de Evelyn Hugo”, de Taylor Jenkins Reid

A curiosidade, aliás, é a grande força motriz da trama, uma vez que ela é permeada por toda uma aura de mistério. Logo nos primeiros capítulos, Monique faz uma recapitulação dos feitos principais de Evelyn, fazendo com que o leitor ocupe a mesma posição do público de Hugo e inicie a jornada pela vida da atriz sabendo um resumo do que encontrar. Por isso, a habilidade narrativa de Taylor Jenkins Reid se comprova ao conseguir nos manter grudados e imersos a cada página da leitura, alimentando esses questionamentos e ansiando pelas respostas.

Mais do que tudo, o maior trunfo da autora é a própria personagem que ela constrói. Evelyn Hugo é uma figura que cativa por todos seus defeitos e qualidades, mas, principalmente, pela sinceridade e clareza com que é capaz de olhar para si, sua vida e para tudo que a rodeia. A verdade é que senti que aprendia com ela um pouco mais a cada página, especialmente no que diz respeito a um olhar mais cru sobre muitos aspectos da vida. Ao mesmo tempo, foi impossível não sentir os altos e baixos de sua vida amorosa. Outro ponto mais do que positivo da leitura.

Vale a pena ler “Os Sete Maridos de Evelyn Hugo”?

Sim, vale a pena devorar ”Os Sete Maridos de Evelyn Hugo”. De fato, nos é apresentado enquanto uma literatura simples de ser digerida é, na verdade, uma poderosa reflexão sobre barreiras, sucesso, lutas e, acima de tudo, do poder do amor. De fato, finalizei o livro impactada pela força da história que poderia ser tão veridica. Porém, a sensação que veio é que precisamos entender mais o ser humano e seus objetivos.

Filmes de romance icônicos na MAX Filmes de romance com Glen Powell Lista com todos os filmes com Barry Keoghan Fantasias que são volume único Doze indicações da Intrínseca para o Dia do Orgulho Geek Séries para quem amou Maxton Hall Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã!