Não perca a resenha do livro "O Reino dos Deuses"

livro "O Reino dos Deuses"

Após vermos algumas perspectivas da  trilogia “Legado”, de N.K. Jemisin, vamos conhecer mais com o livro “O Reino dos Deuses”. Aliás, essa é uma forma de concluir um universo próprio e criado para refletirmos sobre a nossa realidade. No entanto, temos uma aventura mais focada em densidade narrativa, com personagens mais dinâmicos. Por isso, vamos ver mais de “O Reino dos Deuses”:

Narrativa mais densa:

Depois de conhecermos mais desse reino mágico, em “O Reino dos Deuses” vemos uma perspectiva dos deuses, nos quais são figuras tão marcantes na narrativa. Neste caso, temos Sieh, o Deus da infância (e trapaça), filho de Nahadoth. Após séculos foi aprisionado assim como seu pai, obrigada a fazer coisas abomináveis pelos Arameris. Neste momento, está vivendo sua recém liberdade lidando com seus traumas. Mas acaba se envolvendo em uma trama que desafia sua essência infantil.
Diante da incrível escrita de N.K. Jemisin, tudo se conecta de forma coesa, alguns acontecimentos em segundo plano dos primeiros trabalhos estão aqui com as respostas que os personagens anseiam. Porém, ela trouxe discussões atuais que deixam a experiência ainda mais densa, como abuso, pedofilia e violência infantil. Da mesma que os livros anteriores, temos essa construção de enredo tão completa.

Não perca também: Resenha- Os Reinos Partidos (Vol.2), de N.K. Jemisin

Veja a resenha do livro "O Reino dos Deuses"

Personagens cativantes:

Além de um enredo tão interessante, a autora nos entrega personagens complexos, cheios de luz e trevas, heróis e vilões todos dentro dessa camada cinza que os torna reais mesmo dentro de um aspecto de fantasia. Sieh, de longe foi o Deus que mais adorei desde o primeiro livro. Pois suas ações e motivações tão puras e mesmo quando terríveis, uma resposta a sua essência e personalidade. Tanto que entendemos sua visão sobre o mundo.
Enquanto que os demais personagens nos cativa de uma maneira que nem esperamos. Aliás, é muito especial que todos os contos  mitológicos possuem algo tão simbólico e com uma mensagem por trás. Mesmo quando eles abrem um buraco na realidade para deixar entrar o Maelstrom, emprestam de tantas fontes e ainda conseguem ser totalmente criativos e originais por conta própria.

Conclusão:

Portanto, “O Reino dos Deuses” permanece sendo uma obra que fala sobre tantas coisas reais em um universo mágico. À medida que a série avança, torna-se menos claro em preto e branco e se torna mais cinza. Ou seja, a realidade se apresentando a todos. E é incrível ver o quão inteligente é a trama geral de N. K. Jemisin e quão bem construída e quão brilhante suas metáforas funcionam. Sendo uma excelente forma de encerrar a trilogia.
LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO FILMES DE ANIMAÇÃO QUE TAMBÉM SÃO COMÉDIAS ROMÂNTICAS LIVROS SOBRE MITOLOGIA GREGA, ALÉM DE PERCY JACKSON LIVROS QUE LEMBRAM “TODOS MENOS VOCÊ” ONDE ASSISTIR OS INDICADOS AO OSCAR 2024? LANÇAMENTOS DA EDITORA ALT EM 2024 Livros que serão adaptados em 2024 Contos natalinos para você ler no Kindle Unlimited Willy Wonka: Conheça as versões do personagem Expansão “Aluga-se” do The sims 4: O que esperar? A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes: vale a pena ver? Se o personagem do seu filme favorito fosse uma animação da Pixar Livros de Edgar Allan Poe em A Queda da Casa de Usher Músicas que falam sobre términos Livros com jogadores de futebol americano para você ler Livros do Grupo Editorial Record para o Dia das Crianças Conheça Cyberpunk 2077: Nenhum acaso AMOR E LIVROS! ENTREVISTA EXCLUSIVA COM JENNA EVANS WELCH, AUTORA DE AMOR E GELATO