...

Por mais estranho que aparenta ser, O Assassinato no Trem: As irmãs Mitford investigam foi um livro que, apesar de ser a respeito de uma investigação, foi uma leitura tranquila e envolvente. Pois se trata de um contexto além do esperado, principalmente pelos personagens.

Um dos recentes lançamentos da Editora Record, a obra escrita por Jessica Fellowes inaugura uma série de suspense policial. A história conta com três contextos diferentes, mas se complementam. No dia 20 de junho de 1920, a enfermeira Florence Shore foi assassinada em um trem na Inglaterra. No mesmo dia, a jovem Louisa Cannon esteve no mesmo trem, mas saltou em busca de uma vida melhor. Ela foi trabalhar como auxiliar de babá para a família Mitford. Lá, ela sente que pode construir um novo lar e se torna muito próxima da filha mais velha da família, Nancy. Irreverente e ansiosa para ser considerada uma adulta, a garota fica obcecada quando descobre sobre o assassinato da enfermeira no trem e acaba arrastando Louisa na busca por pistas do crime. Enquanto isso, Guy Sullivan é um oficial da polícia ferroviária que convive com a culpa e a zombaria dos irmãos por não ter servido durante a I Guerra Mundial. Quando fica sabendo sobre o assassinato no trem, Guy percebe que tem algo por trás da morte da enfermeira e vê nesse caso uma oportunidade para conseguir uma sonhada promoção a Scotland Yard. Assim, ele fará tudo o possível para descobrir a identidade do assassino.

É nítido que existe uma inspiração bem evidente nas obras de Agatha Christie e das histórias do Sherlock Holmes. Porém, o trabalho de Jessica Fellowes surpreende por apresentar uma investigação de maneira suave e instigante. Um dos pontos positivos a respeito do livro foi o fato de que houve uma construção na jornada de cada um dos protagonistas. Assim, podemos conhecer cada um deles e se importar com suas histórias, tanto quanto o desfecho do crime.

A respeito dos personagens, precisamos destacar os protagonistas, Louisa e Guy. Ela é uma jovem determinada e que vive em uma situação muito difícil desde a morte do pai. É possível compreender os motivos para valorizar tanto o seu emprego e a nova vida que estava construindo. Além disso, seu amadurecimento é bastante importante para narrativa ao longo do livro e ainda se torna ainda mais cativante. Enquanto que ele é gentil, honesto e muito focado, principalmente quando se inicia o caso da enfermeira Shore.  A família Mitford também é muito importante para a trama e o destaque desse livro foi a filha mais velha, Nancy, uma personagem com sentimentos mistos, já que em alguns momentos ela é extremamente apaixonante e em outros, toma atitudes desnecessárias. Porém, assim como Louisa, ela também evolui ao longo da trajetória.

Outro ponto interessante foi o fato de que a autora abordou com muitos detalhes o contexto histórico. Então, podemos entender como estava a sociedade após os anos da guerra e os efeitos, tanto nos soldados quanto nas pessoas que ficaram distantes dos conflitos. Inclusive, mostra de maneira muito rica como eram os costumes da época e as interações sociais, demonstrando ter feito um ótimo trabalho de pesquisa.

Com relação à trama, ela tem um início mais lento para apresentação dos personagens, do crime e das primeiras pistas. Então, não espere um thriller alucinante e cheio de ação, porque não vai encontrar. O mistério vai se desenvolvendo à medida que acompanhamos as jornadas dos protagonistas e as pistas vão sendo reveladas. Já a segundo parte ganha um ritmo bem mais intenso, com revelações e acontecimentos importantes.  Há ainda espaço para um romance que não tira o foco da história e ainda contribui muito para deixar a leitura ainda mais interessante. É um romance cativante, que cresce aos poucos e que faz total sentido dentro da narrativa. A autora soube desenvolvê-lo aos poucos, sem colocá-lo no centro da história (afinal, se trata de um suspense), mas fazendo com que o leitor se importasse com o destino daquele casal.

Deste modo, O Assassinato no Trem: As irmãs Mitford investigam é um livro muito bom para quem gosta de um bom mistério, mas procura uma leitura mais leve. Jessica Fellowes soube desenvolver bem os personagens, cativar o leitor e colocar as revelações no momento certo. Além de um pouco de romance e uma ótima ambientação histórica.

 

COMPRE:

Séries para quem amou Maxton Hall Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI