Não perca por que "Black Mirror" voltou diferente na 6ª temporada

Depois de uma série de mudanças na obra, vamos comentar por que “Black Mirror” voltou diferente na 6ª temporada? Afinal, a produção saiu de suas raízes originais e quis inovar com conceitos mais sociais e profundos. Sem tanta influência da tecnologia. Por isso, confira mais do por que “Black Mirror” voltou diferente na 6ª temporada:

Veja também: FUBAR- Uma série de ação nada engraçada

Antes de tudo…

É curioso pensar no quanto o mundo mudou nos quase quatro anos que separam a quintaª temporada de “Black Mirror”. Uma pandemia global, a popularização da inteligência artificial substituindo mentes criativas, deepfakes e todo tipo de revolução cultural que vimos, para nem entrar na política, em menos de meia década. Tais fatos deixam então a questão: o que Black Mirror ainda tem a oferecer em um mundo que já é “muito Black Mirror”?

Veja por que "Black Mirror" voltou diferente na 6ª temporada

Quais são as mudanças em Black Mirror?

Depois de assistir a sexta temporada, fica claro que a série foi para uma direção completamente nova. Isso porque ela se afasta de sua premissa integral de mergulhar em um futuro distópico tecnológico. Mas, mantém seu senso de horror psicológico e sequências alucinantes icônicas. Aliás, os roteiros de Charlie Brooker derrapam justamente por não trazerem nada de novo ao espectador. Sim, a tecnologia pode ser ruim. Sim, as pessoas são capazes de atrocidades. Porém, de quantas formas conseguimos ver isso até chegarmos a um “ok, ok, entendi”?

Na tentativa de se livrar da mesmice, o foco vira para a cultura de streaming em si, não poupando farpas nem à própria Netflix e ao conteúdo que é despejado e consumido no serviço. A premissa funciona bem como base para os dois melhores episódios do novo ano. O restante dos episódios, no entanto, se passa no passado. Ou tem uma conexão avassaladora com ele. Essa mudança do futuro para o passado e presente é realmente o que alcança o senso de “alteridade” da temporada. E, além disso, também facilita a exploração do programa em outros gêneros, como horror de fantasia e sobrenatural. Quando a série estreou, ela era um viajante solitário pisando em território desconhecido e nos convidando a questionar tudo.

por que "Black Mirror" voltou diferente na 6ª temporada

Mas, vale a pena assistir a 6ª temporada de Black Mirror?

A resposta é sim, até para entender como essas mudanças funcionam e nos fazem questionar. Sem contar que o presente e o passado podem nos ensinar mais coisas do que imaginamos. Particularmente,  para a falta de humanidade e empatia que permeia o atual universo mediático.

Portanto, esta temporada dá a série uma nova marca, necessária para continuar a chocar o público e nos deixar esperando por mais. E embora não pareça que essas histórias irão reunir o mesmo amor que as temporadas anteriores provocaram, elas nos prometem que as temporadas futuras não se tornarão obsoletas. Ao focar em momentos diferentes, dessa forma,”Black Mirror” está evidentemente expandindo seus horizontes.

FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO FILMES DE ANIMAÇÃO QUE TAMBÉM SÃO COMÉDIAS ROMÂNTICAS LIVROS SOBRE MITOLOGIA GREGA, ALÉM DE PERCY JACKSON LIVROS QUE LEMBRAM “TODOS MENOS VOCÊ” ONDE ASSISTIR OS INDICADOS AO OSCAR 2024? LANÇAMENTOS DA EDITORA ALT EM 2024 Livros que serão adaptados em 2024 Contos natalinos para você ler no Kindle Unlimited Willy Wonka: Conheça as versões do personagem Expansão “Aluga-se” do The sims 4: O que esperar? A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes: vale a pena ver? Se o personagem do seu filme favorito fosse uma animação da Pixar Livros de Edgar Allan Poe em A Queda da Casa de Usher Músicas que falam sobre términos Livros com jogadores de futebol americano para você ler Livros do Grupo Editorial Record para o Dia das Crianças Conheça Cyberpunk 2077: Nenhum acaso