Alicia Keys foi a estrela da noite no terceiro dia do festival, que esbanjou muita simpatia, alto-astral e uma voz maravilhosa. Uma artista completa! A cantora de 36 anos foi a terceira atração do palco mundo e recebeu o Dream Team do Passinho. Além disto a cantora também se engajou na luta pela preservação da Amazônia e convidou a líder indígena Sônia Guajajara para participar deste momento histórico.

Em 2016 Keys deixou de lado todo o glamour de maquiagem e se assumiu do jeito que é, deixando em evidencias as suas sardas e seus cabelos encaracolados. E foi assim que ela subiu ao palco, com exceção do cabelo cacheado que deu lugar a longos dreads coloridos, e um macacão cintilante. Claro, seu fiel companheiro também esteve presente, o piano.

Alicia mostrou que pode ser uma cantora que vai além de “No One” e que fica sentada maior parte do tempo tocando, coisa que aconteceu na sua última participação no evento em 2013. Desta vez a cantora teve uma presença de palco que muitos duvidavam que ela poderia ter. Com um som um pouco difícil de ser definido, ela passeia por pop, soul, gospel e nesta edição se arriscou até no funk ao convidar o Team Dream do Passinho e dançar com eles “In Common”.

Antes de cantar “Kill Your Mama” a cantora fez um discurso lindo e inspirador que deixou todo o público, não só presente no festival, mas também quem assistia em casa, com mais admiração pela nova-iorquina. “Eu quis cantar algo especial para vocês e trouxe uns amigos para me ajudar. Fico tão inspirada pela energia que vocês trazem, o estilo de vida que vocês criaram, a maneira linda que vocês pintam a vida… É muito lindo aqui”. Antes de anunciar a música ela completou: “É uma música sobre como estamos machucando, matando a nossa Mãe Terra”, e logo em seguida convidou o carioca Pretinho da Serrinha e a líder indígena Sônia Guajajara, que durante a música fez um discurso belíssimo.

“Existe uma guerra contra a Amazônia. Os povos indígenas e o meio ambiente estão sendo brutalmente atacados. O governo quer colocar à venda uma gigantesca área de reserva mineral… Porque não existe Plano B, essa é a mãe de todas as lutas, a luta da mãe terra” a líder foi ovacionada ao final do discurso e com certeza foi um dos momentos mais lindos do festival inteiro, entre os 7 dias.

Chegando na última parte do show, Alicia Keys apostou nos grandes hits para fechar com chave de ouro. “Girl on fire” e “No one” foram as retas finais para o gran finale com “Empire State of mind”, música clássica que fecha todos os shows. Sem dúvidas Alicia Keys fez história nesse Rock in Rio, não só pela luta da consciência ecológica, mas pela evolução como cantora e pessoal.  Ela deu mais mil motivos para ter um lugarzinho nossos corações brasileiros.

 

Por Bárbara Allen

Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO FILMES DE ANIMAÇÃO QUE TAMBÉM SÃO COMÉDIAS ROMÂNTICAS LIVROS SOBRE MITOLOGIA GREGA, ALÉM DE PERCY JACKSON LIVROS QUE LEMBRAM “TODOS MENOS VOCÊ” ONDE ASSISTIR OS INDICADOS AO OSCAR 2024? LANÇAMENTOS DA EDITORA ALT EM 2024 Livros que serão adaptados em 2024 Contos natalinos para você ler no Kindle Unlimited Willy Wonka: Conheça as versões do personagem