Com grande elenco, veja “Duna: Parte 2”

Diante de um filme que se joga no seu lado épico, “Duna: Parte 2” veio para continuar o seu legado na ficção científica. Aliás, com o segundo filme, Denis Villeneuve conclui adaptação do livro lançado por Frank Herbert em 1965. Por isso, vamos ver mais de “Duna: Parte 2”:

Veja também- Como será o filme musical Wicked?

Apostando no lado épico:

Veja tudo sobre o filme “Duna: Parte 2”

Dentro das dunas de Arrakis, vemos o lado épico do filme se apresentando cada vez mais, com seus planos aéreos e cenas cheias de ação. Se comparada ao primeiro filme, a sequência de “Duna” é bem mais ágil, com um foco maior nas cenas de ação. No entanto, o  desenrolar dos acontecimentos ainda não acompanha o ritmo. Essa lentidão é mais perceptível na primeira parte do longa-metragem, que ganha um dinamismo maior da metade para o final.

Denis parece ter reservado sua incursão inicial pelo universo de Frank Herbert para apresentá-lo ao público, explicando todo o conceito cultural e geopolítico que envolve a trama. Agora, já familiarizados com o funcionamento desse mundo fictício, os espectadores são expostos a momentos mais eletrizantes. Por outro lado, a parte mística da história ganha aprofundamento, deixando mais nítida a intenção de questionar o domínio exercido através da religião.

Mas é melhor que o primeiro?

Do ponto de vista técnico, “Duna: Parte 2” consegue superar o seu antecessor. Feito que pode se repetir em 2025, levando em consideração o primor com que o novo filme de Villeneuve trata os seus aspectos visuais e sonoros. Mantendo distância dos exageros de computação gráfica comuns às grandes bilheterias atuais, o longa consegue construir um cenário realista, com um deserto que é, ao mesmo tempo, de uma beleza estonteante e de uma fúria mordaz.

Os personagens enquadrados tão pequenos em relação às dunas gigantescas, bem como as tempestades de areia que chegam a turvar nossa visão da cena, demarcam bem o conceito de embate entre homem e natureza expresso na obra.

E o elenco?

Veja tudo sobre “Duna: Parte 2”

A escolha de Timothée Chalamet como protagonista está longe de ser uma unanimidade. É preciso reconhecer, no entanto, que o ator parece ter aprimorado seu domínio sobre o personagem, que passa a apresentar certa ambiguidade em suas decisões. Zendaya, por sua vez, ganha mais tempo de tela e a oportunidade de trabalhar melhor a destemida Chani, provando sua capacidade de sustentar a carga dramática da personagem.

Enquanto que todo o elenco entrega profundidade e participação, até com poucas falas. Com exceção de Austin Butler. Pois seu vilão, Feyd-Rautha Harkonnen, é anunciado como um sociopata terrível, mas não chega a causar um impacto real nos rumos da história.

Vale a pena ver “Duna: Parte 2”?

Entre lutas coreografadas com precisão e vermes gigantes produzidos digitalmente, “Duna: Parte 2” consegue manter a ação sem dissipar os temas mais gritantes da obra de Herbert, como imperialismo, ecologia e fanatismo religioso. Mantendo o desfecho trágico do livro, Villeneuve deixa o gancho para uma ainda não confirmada – mas muito provável – terceira parte, que deve adaptar “O Messias de Duna”, segundo volume da saga criada pelo escritor estadunidense. Talvez, teremos uma conclusão inesquecível.

Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO FILMES DE ANIMAÇÃO QUE TAMBÉM SÃO COMÉDIAS ROMÂNTICAS LIVROS SOBRE MITOLOGIA GREGA, ALÉM DE PERCY JACKSON LIVROS QUE LEMBRAM “TODOS MENOS VOCÊ” ONDE ASSISTIR OS INDICADOS AO OSCAR 2024? LANÇAMENTOS DA EDITORA ALT EM 2024 Livros que serão adaptados em 2024 Contos natalinos para você ler no Kindle Unlimited Willy Wonka: Conheça as versões do personagem