...

Também conhecidas como HQ’s, as histórias em quadrinhos são um modelo de leitura que mistura elementos textuais e visuais, criando a sensação de sequenciamento das cenas. Este gênero literário é um grande responsável por apresentar e incentivar as crianças ao mundo da literatura. Tanto que , atualmente, é comum ler algum sobre super-herói ou de uma turma específica nesse formato. No dia 30 de janeiro é marcado, no Brasil, por homenagear esse estilo e também relembrar os sucessos como “Turma da Mônica” e “O Menino Maluquinho”. Mas você sabe o motivo específico dessa data? Para responder, precisaremos fazer uma pequena viagem no tempo.

No Brasil, as histórias em quadrinhos começaram a ser publicadas no século XIX, adotando um estilo satírico conhecido como cartuns, charges ou caricaturas e que depois se estabeleceria com as populares tiras. A edição de revistas próprias de histórias em quadrinhos no país começou no início do século XX. A primeira que foi publicada foi “As Aventuras de Nhô-Quim ou Impressões de uma Viagem à Corte”, autoria do cartunista Angelo Agostini, 30 de janeiro de 1869, por isso a explicação para a escolha desta data.

“As Aventuras de Nhô-Quim ou Impressões de uma Viagem à Corte”, do cartunista Angelo Agostini,

A partir de 1984, ficou instituído, através da “Associação dos Quadrinistas e Cartunistas do Estado de São Paulo” (AQC-ESP), que todo o dia 30 de janeiro se comemoraria o Dia do Quadrinho Nacional, em homenagem ao trabalho de Agostini. Desde então, anualmente, como parte das celebrações desta data, a AQC-ESP organiza o Prêmio Angelo Agostini, que tem o propósito de prestigiar os talentosos profissionais brasileiros que atuam na produção de histórias em quadrinhos.

O jornal que fez a publicação chamava-se Vida Fluminense e a primeira história sequencial era “Nhô-Quim”, feita em dois episódios, que contava a história de um caipira de 20 anos que visita a Corte no Rio de Janeiro. Agostini era conhecido por retratar assuntos políticos e as ilustrações eram um pouco diferente do que conhecemos hoje, porque as obras não possuíam balões de fala e sim pequenas caixas com legenda.

A partir daí, outras histórias em quadrinhos começaram a surgir, principalmente com o surgimento da revista infanto-juvenil “O Tico-Tico”, em 1905, que englobava histórias de autores como J. Carlos (Lamparina), Alfredo Storni (Zé Macaco e Faustina), Max Yantok (Pára-Choque e Vira-Lata) e Luis Sá (Reco-Reco, Bolão e Azeitona) e também contava com diversos passatempos, contos, crônicas, reflexões sobre a realidade brasileira e conselhos para os jovens leitores.

Mesmo com a chegada e popularização de grandes editoras internacionais, como “Marvel” e ‘DC comics”, as versões nacionais se estabeleceram no mercado e marcaram a vida de milhares de brasileiros, como “A Turma da Mônica”, “O Menino Maluquinho”, “A Turma do Pererê”. É claro que esse formato é uma marca de extrema importância para a cultura e pode ser vista em diversos formatos. Como o sucesso de Mauricio de Sousa, que é uma das maiores marcas brasileiras tendo se expandido para além dos gibis, como em livros, brinquedos, jogos, entre outros.

“A Turma da Mônica” é uma das HQ´S mais reconhecidas do mundo

Além disso, a utilização das histórias em quadrinhos não é apenas para entretenimento, já que no ensino faz com que os alunos tenham um bom rendimento nas escolas, possibilitando um melhor desempenho no processo de ensino e aprendizagem. Incluindo um aumento na motivação dos estudantes para o conteúdo das aulas, aguçando sua curiosidade e desafiando seu senso crítico. É visto que o gênero possibilita ser uma forma de educar e expandir um universo específico. Pode ser para o público infantil e para os adultos que buscam uma leitura tranquila e nostálgica.

Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO