Lucky foi um livro que simplesmente me fisgou no primeiro capítulo e eu não esperava gostar tanto da escrita de Marissa Stapley. Agora, quero que você conheça esta história.

Sobre a história

Lucky é uma golpista talentosa, e, após um roubo que lhe garantiu milhões de dólares, está prestes a embarcar em uma vida nova com o namorado, Cary, quando as coisas tomam um rumo completamente diferente do planejado. Agora, distante das emblemáticas figuras tanto do pai quanto do namorado, vai precisar percorrer territórios desconhecidos e recorrer a truques até então inéditos, tudo isso por sua própria conta e risco.

É então que, de repente, sua sorte parece virar: um bilhete de loteria comprado por ela em um momento de impulso é o único ganhador de um prêmio multimilionário. Parece a grande solução para todos os seus problemas… se não esbarrasse em um obstáculo – para resgatar o dinheiro, Lucky precisa se identificar. Mas, foragida da polícia e com o rosto estampado em todos os lugares, como pegar a grana sem ir parar na cadeia?

Enredo simples mas empolgante

O enredo é bem simples e o desenvolvimento também, mas sabe quando a escrita te pega de jeito? Pois bem, é o que acontece em Lucky. Comecei a história sem muitas expectativas, achei que seria apenas mais um livro. Entretanto, Marissa me conquistou logo no primeiro capítulo com uma protagonista incrivelmente carismática, mesmo sendo muito trapaceira.

Lucky, que ao longo da história teve uns 30 nomes, é uma personagem que mesmo cheia de falhas te conquista com seu jeitinho de tentar solucionar os problemas que causa. Além de ser bem “inocente” para certas coisas.

Pode esquecer o romance, Lucky é um livro sobre descobertas, perdão e fado. Amei cada construção de situações, pois a história tem dois pontos de virada que faz com que a narrativa continue com a mesma pegada e interessante para o leitor. Eu simplesmente não conseguia parar, queria saber qual seria o final de Lucky.

O que realmente achei

A escrita da autora é muito fluida e objetiva. Marissa também cria dos artifícios de intercalar presente com o passado para explicar como a protagonista foi parar naquela situação. Contudo, não são todos os autores que conseguem fazer com sucesso essas transições, mas aqui não é o caso. A autora consegue costurar muito bem cada uma das situações do presente e passado deixando a história ainda mais dinâmica e interessante.

Lucky é um livro bem interessante, diferente da maioria dos títulos que estão em destaque. Indico muito para quem quer sair da ressaca e fugir um pouco dos gêneros tradicionais.

FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO FILMES DE ANIMAÇÃO QUE TAMBÉM SÃO COMÉDIAS ROMÂNTICAS LIVROS SOBRE MITOLOGIA GREGA, ALÉM DE PERCY JACKSON LIVROS QUE LEMBRAM “TODOS MENOS VOCÊ” ONDE ASSISTIR OS INDICADOS AO OSCAR 2024? LANÇAMENTOS DA EDITORA ALT EM 2024 Livros que serão adaptados em 2024 Contos natalinos para você ler no Kindle Unlimited Willy Wonka: Conheça as versões do personagem Expansão “Aluga-se” do The sims 4: O que esperar? A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes: vale a pena ver? Se o personagem do seu filme favorito fosse uma animação da Pixar Livros de Edgar Allan Poe em A Queda da Casa de Usher Músicas que falam sobre términos Livros com jogadores de futebol americano para você ler Livros do Grupo Editorial Record para o Dia das Crianças Conheça Cyberpunk 2077: Nenhum acaso