Caixa de pássaros, do autor norte americano Josh Malerman, é um thriller surpreendente de tirar o fôlego. Aclamado pela crítica, o livro foi definido como perturbador e leva o leitor a ficar cego junto com os personagens.

“O Homem é a criatura que ele teme”

A história se passa em um momento em que coisas estranhas estão acontecendo ao redor do mundo. Aparentemente ninguém está salvo ou imune dessa epidemia que está deixando rastros horrorosos por onde passa. A única certeza que se tem é que não se pode abrir os olhos, não é à toa que esse seja o subtítulo do livro e o slogan que Josh carrega do início ao fim.

A história é narrada em terceira pessoa, o que é ótimo, pois assim o leitor consegue viver ainda mais todo o sofrimento e angústia de cada um dos personagens. Malorie é a personagem principal e é com ela que vamos nos aventurar na maior parte do tempo. Malerman consegue transportar todo o suspense e o medo para os leitores a ponto de deixá-los cegos junto com todos que estão na situação tenebrosa. Cada capítulo é um momento de tensão diferente e a vontade que surge é de tirar as nossas vendas e tentar enxergar aquele novo mundo e saber o que está acontecendo ao redor. Mas o fato de não podermos é o que torna a obra mais angustiante.

“Saímos de lá porque algumas pessoas decidem esperar as notícias chegarem e outras correm atrás delas”

O livro é dividido em capítulos que vão para o presente e para o passado, dando uma contextualizada na situação. O autor consegue carregar mistério, suspense e medo em todos esses períodos, transitando de um para outro sem a menor dificuldade e sem deixar a leitura cansativa e parada. Aliás, de parado o livro não tem nada, pois até subir para o segundo andar da casa já é uma grande ação.

Outra coisa muito interessante no livro é o despertar de toda uma imaginação sem sair de um mesmo ambiente. A história se passa – em boa parte do tempo – em dois lugares, mas é tanta informação e tamanha é a riqueza de detalhes que o autor descreve as coisas, que você acaba esquecendo que está no mesmo lugar do capítulo anterior, do terceiro e que também estará daqui a dois capítulos.

“A gravação vai tocar sem parar. Você vai ouvir. É alta. Clara. E quando ouvir, vai ter que abrir os olhos”

Caixa de pássaros tem um enredo brilhante e uma escrita que flui, deixando o leitor preso na história e desesperado para saber o que acontece, como que a personagem Malorie foi parar ali, onde ela quer chegar, quem são aquelas pessoas e outros milhões de questionamentos que o livro pode causar.

Sobre o final, talvez tenha faltado algo a mais que passasse emoção ou uma melhor explicação, porém é difícil pensar em um outro desfecho se pararmos para considerar tudo que aconteceu. Mesmo assim, é um final que cada leitor terá a sua própria conclusão e que abre um leque de discussões.

Em julho a plataforma de streaming Netflix anunciou a compra dos direitos para produzir o filme Caixa de Pássaros e a atriz Sandra Bullock irá interpretar a protagonista Malorie. Mas, infelizmente, ainda não tem uma data para lançamento.

Expansão “Aluga-se” do The sims 4: O que esperar? A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes: vale a pena ver? Se o personagem do seu filme favorito fosse uma animação da Pixar Livros de Edgar Allan Poe em A Queda da Casa de Usher Músicas que falam sobre términos