...
Não perca "Red: Crescer é uma Fera"

Lançamento de "Red: Crescer é uma Fera"

Após trazer ensinamentos importantes da infância e da fase adulta, a Pixar aborda mais sobre a pré-adolescência em “Red: Crescer é uma Fera”. Sendo que é terceiro filme que foca na identidade material de corpos dos seus protagonistas. Mas, neste caso, é uma metáfora fantasiosa para as as mudanças físicas como reflexo de algo biológico alinhado ao amadurecimento. Ainda mais conta com a representatividade e a inclusão social nos personagens. Dessa maneira, vamos falar mais do filme “Red: Crescer é uma Fera”:

Veja também: Produções que você precisa ficar de olho em Março

Descobrindo a “fera interna”:

Disponível no Disney+, "Red: Crescer é uma Fera"
“Red: Crescer é uma Fera” é uma metáfora sobre as mudanças na adolescência.

É válido falar que poucos temas são tão universais na arte quanto o amadurecimento. As dores e confusões de crescer permeiam a ficção justamente por ser um assunto palpável. Sendo que pode alcançar o público em um nível pessoal. Dentro do filme “Red: Crescer é uma Fera”, temos uma sinceridade no assunto de maneira única e divertida. A transformação de Meilin em um panda vermelho como símbolo das mudanças sexuais e mentais singularizam bastante a experiência dos espectadores. Aliás, vemos a busca pela perfeição em ambiente familiar, desejos reprimidos e descobertas novas na vida sendo elementos de transição para a nova etapa. Tudo isso dentro de uma questão da ancestralidade na sua família sino-americana.

Além disso, apresenta uma abordagem mais “exterior”, que diz respeito a como colocamos para fora nossas aflições e pensamentos. E qual é a reação que elas provocam nas outras pessoas e como nos encontramos em meio a esse turbilhão de emoções. Decerto, a mudança é utilizada de forma esperta como centro de todas as tramas desenvolvidas até ali. Posteriormente, é aproveitada tanto para fortalecer os laços da garota com suas amigas quanto em levá-la a conhecer sua herança familiar.

Representatividade com abordagens diferentes:

Não perca o filme da Pixar "Red: Crescer é uma Fera"
Dentro do filme, vemos mais sobre uma família sino-americana

Dirigido e escrito por cineastas com descendência asiática, o longa apresenta o cotidiano e a cultura da família com um olhar carinhoso e cuidadoso. As tradições, costumes e a rotina dos Lee dão tom à história com uma verdade que nunca vai para o viés exótico tão comum em produções norte-americanas. É perceptível que muito do que está em tela tem inspiração nas experiências reais das criadoras. Especialmente no que diz respeito às relações familiares. No entanto, é interessante entender as diferenças culturais, até como perspectiva única.

Para traduzir esse turbilhão de conceitos e inspirações, a produção conta com uma animação competente que equilibra as várias características apresentadas na história. Desde a ancestralidade até designs típicos dos anos 2000. Mesmo que seja novo, o visual passa longe de ser decepcionante e traz coesão que passa por corredores de escola, templos religiosos, palcos de show e até planos extramundanos. Sem contar que temos personagens extremamente cativantes e profundos. A personagem tem um grupo de amigas próximas que elevam ainda mais a importância dos dilemas principais. Mesmo sem ter histórias aprofundadas, suas características mais evidentes são suficientes para preenchermos as lacunas e entendermos, sem esforço, por que são tão importantes no contexto geral.

Conclusão:

Portanto, “Red: Crescer é uma Fera” é a fórmula mágica da Pixar em seu estado mais cristalino e que se comunica com o que há de mais íntimo e de mais universal ao mesmo tempo. Dessa forma, crianças e adultos já sabem que vão se envolver com a história. As nuances mais sutis do debate sobre as emoções requerem, claro, mais maturidade e vão ser capturadas pelos mais velhos. Mas o ritmo e o espírito alegre da animação têm tudo para prender a atenção dos pequenos com o “monstro” mais fofo dos últimos tempos. Por outro lado, a força do filme vem mesmo da importância da transformação nesta fase da vida. Também um olhar atento a como dialogar com a família as mudanças sociais por compreensões dos indivíduos cada vez mais dispostos a clamarem por lugares próprios.

Séries para quem amou Maxton Hall Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI