Confira primeiras impressões sobre "Primeira Morte"

As primeiras impressões sobre "Primeira Morte"

Sendo considerada a nova produção de vampiros, vamos falar das primeiras impressões sobre a série da Netflix, “Primeira Morte”. Aliás, a produção criada por V.E. Scwab conta a história de uma jovem vampira e uma caçadora que pretendem matar uma a outra. Até perceberem que a conexão que criaram pode ficar no caminho disso. Diante desse enredo, vamos comentar tudo das nossas das primeiras impressões sobre “Primeira Morte”:

Veja também: Primeira Morte- Conheça a próxima série de vampiros da Netflix

Romance estilo “Romeu e Julieta”:

Diante de vários clichês do gênero sobrenatural já vistos em outros contos com vampiros. Mas, desta vez, em um contexto menos frequente: um romance entre garotas. Julliet é uma vampira pura, nascida na família Atwood, uma das mais poderosas e influentes da raça de vampiros puros. AInda mais, ela finalmente está passando pela puberdade e vai ter que matar pela primeira vez para saciar sua fome. Já Calliope vem de uma lendária linhagem de caçadores. A família Burns não foge, por isso, Cal vê a oportunidade perfeita de fazer de Julliet sua primeira vítima, para finalmente ser respeitada pela família como sonha.

Porém, Julliet e Calliope se apaixonam e vivem um conflito quase shakespeariano. Além disso, há um certo indício de explorar e criticar o tradicionalismo de ambas as famílias, seus legados e seus respectivos instintos naturais. Agora, se a tentativa realmente funcionou, devo dizer que não. E vamos discutir a respeito.

Não perca as primeiras impressões sobre "Primeira Morte"
Cena da nova série da Netflix, “Primeira Morte”

Primeiras impressões:

Em primeiro lugar, mesmo que seja uma produção para o público jovem, “Primeira Morte” abusa demais dos clichês e tenta vender o romance de maneira rápida e desesperadora. Pois não existe uma construção e desenvolvimento. É como se quisessem acelerar para certas cenas e esquecer dos demais elementos. Mesmo que o primeiro episódio introduz as protagonistas, o roteiro apresenta de forma desleixada e genérica. Tanto que as atuações remetem a essa característica. Não há sutileza nem convencimento nas falas.

Além disso, acelerar certos eventos não contribuem em nada. Na verdade, existe uma necessidade maior em mostrar as cenas de beijos e toques do que criar com calma uma relação que está em perigo. Afinal, o que cativa mais o telespectador é a evolução dos personagens e da narrativa. É triste ver esse tipo de cenário, mas esperamos que os próximos passos sejam promissores.

FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO FILMES DE ANIMAÇÃO QUE TAMBÉM SÃO COMÉDIAS ROMÂNTICAS LIVROS SOBRE MITOLOGIA GREGA, ALÉM DE PERCY JACKSON LIVROS QUE LEMBRAM “TODOS MENOS VOCÊ” ONDE ASSISTIR OS INDICADOS AO OSCAR 2024? LANÇAMENTOS DA EDITORA ALT EM 2024 Livros que serão adaptados em 2024 Contos natalinos para você ler no Kindle Unlimited Willy Wonka: Conheça as versões do personagem Expansão “Aluga-se” do The sims 4: O que esperar? A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes: vale a pena ver? Se o personagem do seu filme favorito fosse uma animação da Pixar Livros de Edgar Allan Poe em A Queda da Casa de Usher Músicas que falam sobre términos Livros com jogadores de futebol americano para você ler Livros do Grupo Editorial Record para o Dia das Crianças Conheça Cyberpunk 2077: Nenhum acaso