...

Me lembro bem, foi uma sexta-feira no começo de agosto que uma amiga minha chega empolgada falando “RACHEL, EU CONSEGUI, COMPREI OS INGRESSOS PARA O MONSTA X”, e minha única reação foi: “QUE??”. Fiquei uns bons dias com essa indagação na cabeça, porque nossa, nunca iria imaginar que de fato, fosse ver o show do meu grupo favorito de K-Pop.

Só tinha um detalhe: o show não era em nenhum estado brasileiro, era na Argentina. Ou seja, começa a corrida para comprar passagem e reservar hotel. Que loucura foram os dias que sucederam à empolgação do dia da compra. Contar para os meus pais, pedir licença para faltar dois dias no trabalho (pois o show era numa terça-feira), achar a passagem ideal e o hotel mais próximo possível. Contar para os meus pais foi, sem dúvidas, a parte mais difícil; foram dias de tortura emocional até receber aquele famoso “sim, você pode viajar”, pois estava à beira de jogar tudo pelos ares.

Pois bem, com tudo já previamente preparado, um mês depois estava na hora de embarcar. E a partir daí começa a maior loucura que três meninas loucas fariam por seus ídolos. O embarque foi às nove da noite de segunda-feira, porém, a previsão de chegada era para ser às dez da manhã do dia seguinte, então já viu, lá foram praticamente 10 horas dentro de um aeroporto esperando pelo voo. E que tortura… não conseguia dormir de jeito nenhum, nenhuma de nós, na verdade. A empolgação era tanta que não conseguíamos descansar.

Passadas as mais longas 12 horas da minha vida, chegamos, enfim, ao país que receberia os monstros que prometiam conquistar o mundo do K-Pop. Faltando poucas horas para o show, fomos direto para a arena retirar nossos ingressos (14h). Descobrimos um fato curioso: havia um sorteio acontecendo com os números dos ingressos da área VIP, 500 ingressos sorteados iriam para o Hi-Touch, 100 para a foto em grupo e 20 para a lista de espera para qualquer das categorias. Ficamos empolgadas… fomos correndo para o McDonalds mais próximo para almoçarmos (afinal, estávamos sem comer) e verificarmos os nossos ingressos. Estava confiante que ou os 3 seriam sorteados ou nenhum seria. Nada nos preparou para o que estava por vir.

Um dos três ingressos que tínhamos foi sorteado para o Hi-Touch. Pânico.  O que fazer? Como decidir? Uma decidiu abrir mão do ingresso, só sobrou então eu e mais uma amiga, uma não querendo abrir mão, uma achando que merecia. Resolvemos tirar na sorte, com 3 rotadas de Kai Bai Bo (Pedra, papel e tesoura). Acabou que eu saí vitoriosa dessa árdua disputa. Minha amiga chorou (normal, eu também choraria se tivesse perdido), mas não iria abrir mão do ingresso, aquela era minha passagem direta para o sonho virando realidade.

Voltamos para a fila para pegar a credencial que levava até o Hi-Touch. Com a credencial no braço, fomos finalmente para o hotel deixar nossas mochilas e trocar de roupa. Nunca havia trocado de roupa tão rápido na vida, afinal o Hi-Touch já iria começar (era antes do show). Minhas amigas ficaram no hotel e combinamos de nos encontrar no show (doce ilusão de que a gente conseguiria).

Na fila esperando minha vez, conheci uma argentina muito fofa, que acabaria por ser minha companheira pelo resto da noite.

O Hi-Touch foi muito rápido, mas inesquecível. A ordem foi Jooheon, Minhyuk, Kihyun, Shownu, Wonho, Hyungwon e I.M.

Jooheon era muito alto, mais do que eu esperava, levava um leve sorriso, mas um pouco sério, com lentes coloridas e muita maquiagem (parecia personagem de anime, real). Minhyuk era alto também, e tinha um sorriso muito discreto (depois me toquei que ele estava tentando ser sexy… e olha, devo dizer que conseguiu) mas não deixou de ser simpático. Kihyun foi engraçado, senti que eu era da altura dele (risos) só um pouco mais baixa, e ele, além de sorrir com vontade, olhou dentro dos meus olhos (estava muito próxima dele), foi o que mais me marcou. Logo em seguida Shownu, aqueles olhinhos dele e pele morena se destacando, fiquei até sem ar, ele estava meio curvado para não parecer tão alto. Wonho em seguida, todo posudo, com a coluna ereta e um leve sorriso (metido rapaz kk). Hyungwon também levava um leve sorriso, mas não sei explicar, era muito sincero o sorriso dele, te trazia uma paz, te envolvia, muito neném (Ps.: ele era muito alto, mas não estou surpresa). E por último, mas não menos importante, I.M, o Maknae, mais baixo que o Kihyun (ele, de verdade, senti que era do mesmo tamanho que eu) deu um sorriso leve, mas sincero, fechando os olhos com leveza. Saí de lá aos prantos! E para todos, só consegui fazer um olá de forma curvada… literalmente “olá” e não consegui apenas bater na mão, tive que segurar pois não queria mais soltar.

Pois bem, eu e minha mais nova amiga argentina corremos para a fila do portão da área VIP, pois queríamos um ótimo lugar. Conseguimos nos comunicar beirando o inglês, espanhol e português. Entramos. Não ficamos na grade, mas nosso lugar estava maravilhoso. A ansiedade batendo, cada gritaria, cada movimentação no palco, fazia meu coração parecer carro de Fórmula 1.

Ficou tocando músicas do CD de Beautiful, até que… BOOM… Começa a rodar um filme para introduzir os meninos e, do nada, 7 maravilhas da natureza aparecem no palco se preparando para Beautiful. A galera foi à loucura. Depois emendaram com Incomparable. Sem tempo para digerir o que estava acontecendo, veio Hero, meu coração de Monbebe (fandom do Monsta X) não aguentou tanta emoção, com um hino desses. Aí sim, foi a vez de respirar e darem o ar de sua graça para o público presente. Falaram durante um bom tempo, fizeram graça com a galera da Argentina, com palavras em espanhol e muito “te amo/te quiero/Los amo”, me senti até una Chica Argentina (risos). Depois, saindo um pouco desse CD deles e voltando no tempo, tivemos Ex Girl cantada maravilhosamente. Em seguida, tivemos White Love fazendo o coração das Monbebes derreterem. Logo depois vieram Jooheon, Minhyuk, I.M e Kihyun fazer graça para o público, até que Wonho, Shownu e Hyungwon se juntaram nas brincadeiras, deixando os 4 saírem. Depois de muito falar e brincar, os 7 se reuniram novamente para cantarem Ready Or Not (o fundo e os efeitos especiais estavam maravilhosos nessa hora). Em seguida, veio Oi com um dos rappers mais incríveis do Jooheon.

Logo a seguir, todos saíram e começou a passar um mini vídeo deles respondendo algumas perguntas. Depois veio a parte mais aguardada da noite, pelo menos para mim: as units. Primeiro foi From Zero, do Wonho com Hyungwon (pelos vídeos feitos pelos fãs na internet, não dá para ter noção do quanto o Wonho é forte. Sério, ele é um monstro, e sabe disso). Depois veio Dj. H.One (Nome de Dj do Hyungwon) dominar o palco e QUE DJ… me senti em um Ultra da vida ou na Tomorrowland. Após de alguns remix, principalmente de Beautiful, foi a vez do Jooheon entrar em cena: ele cantou sob a batida do Hyungwon a música BAM!BAM!BAM! (na época ainda não tinha sido lançada oficialmente). Enfim, depois veio o ‘trio maravilha’, Shownu, I.M e Minhyuk apresentando um cover de 24k do Bruno Mars, e que apresentação incrível. Mas aí, aí meus amores, o meu coração veio na mão, comecei a chorar sim, porquê? Porque foi a vez de Mirror com Jooheon e Kihyun; essa apresentação arrepia qualquer pessoa, linda demais!

Depois de todas as units apresentadas, veio a coisa mais fofinha, I.M, Minhyuk, Shownu, Wonho e Hyungwon (esse com um lacinho lindo no pescoço) com as roupinhas mais fofinhas do mundo. Ficaram fazendo graça com a plateia até Kihyun e Jooheon se juntarem, com o mesmo conceito de roupa fofa, para cantarem Need U. Em seguida, teve apresentação de Honestly, do álbum de debut. Depois, eles se espalharam pelas escadas do palco e cantaram I’ll be there, música que o Wonho fez para os Monbebes (dava pra ver o orgulho do bichinho). A seguir, uma das melhores partes: começaram a cantar Sweetheart e a jogarem doces para o público (infelizmente não tive a sorte de conseguir pegar, mas vida que segue).

Pronto, achei que tinha acabado ali, pois eles ficaram falando “gracias” e sairam do palco, pensei “nossa, só isso”, mas não. Começou mais um mini filme de três capítulos (Alô, Starship? Quero esses vídeos na minha mesa agora) para darem tempo de mudarem de roupa. Retornaram com Shine Forever. Logo eles emendaram com Be Quiet (fiquei bem supresa quando tocaram essa música). Em seguida o momento MAIS LINDO do show, sem exageros, comecei a chorar que nem criança e fiquei toda arrepiada: eles começaram a cantar Broken Heart (minha música ninguém sai), e foi lindo porque conforme eles iam cantando, as luzes iam se ascendendo sobre eles, e mais lindo se você olhasse ao redor: todos da plateia, TODOS, com a lanterna do celular ligada, fazendo um clima lindo (fiquei arrepiada só de lembrar).

Mas a surpresa maior vem agora, eles começaram a cantar Blind, nunca tinha visto uma performance dessa música, então foi incrível verem eles cantarem. Depois vieram com All In, emendando com uma versão rock de Trespass (nessa o Minhyuk ficou absurdamente perto de onde eu estava) e na versão rock de Rush, a galera foi à loucura. Fizeram mais algumas graças e finalizaram com Fighter e aí… acabou! Pera, achou mesmo? Que nada. O pessoal começou a pedir enlouquecido por encore, até que eles me aparecerem com as roupas que usaram nos primeiros shows nos tempos de debut cantando No Exit (detalhe: eu cada vez mais perto deles e eles cada vez mais perto de mim, foi sensacional), depois eles cantaram, para finalizar de verdade, Last Page, que não podia faltar. E foi lindo que no final da música papéis começaram a ir pelo ar, ficou um clima muito bonito! Eles andando pelo palco, cada vez mais perto do público… energia sensacional. No final, ainda ficaram cerca de uns 5 minutos só agradecendo. E aí sim, acabou! Que dor no coração quando acabou.

Pequenas observações: O show começou 20h30, em ponto, e terminou 23h10. Os efeitos especiais de palco estavam sensacionais. Eles realmente se preocuparam em dar o melhor entretenimento para os fãs.

Saí do show anestesiada, com um sorriso no rosto que me acompanhou por dias. Voltei para o Rio com a certeza de que foi a melhor experiência da minha vida. Meu primeiro show de K-Pop e que eu jamais esquecerei. 사랑해

 

Por Rachel Guarino

Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO