...

O Gambito da Rainha se consagrou como a minissérie mais vista da Netflix, alcançando 62 milhões de assinantes mundo afora. A produção estrelada por Anya Taylor-Joy conseguiu um feito ainda mais extraordinário: popularizar o xadrez entre pessoas de diferentes idades, gêneros e nacionalidades. A nova onda de interesse pelo jogo se deve, sobretudo, aos acertos da trama, que brindou o público com um visual sofisticado, um elenco competente e um roteiro bem construído. Além do inusitado título, temos outros segredos por trás de seu sucesso. Diante disso, reunimos curiosidades sobre o universo de Beth Harmon.

1.Baseado no livro de Walter Tevis

Inspirado em um livro homônimo, escrito pelo americano Walter Tevis e publicado em 1983. O autor, que aprendeu a jogar xadrez aos sete anos, trouxe diversos aspectos de sua vida para a obra. Dessa forma, criando uma protagonista que refletia sua paixão pelo esporte. Tevis sofria de cardiopatia reumática e passou parte de sua infância em uma casa para doentes, sob o constante efeito de sedativos. Abandonado pelos pais, ele também lutou contra o alcoolismo, mas, ao contrário de sua personagem, nunca despontou como um prodígio no tabuleiro.

2. Ajuda dos especialistas

Para transformar o livro em uma minissérie original da Netflix, o diretor e roteirista Scott Frank contou com a ajuda de dois gênios do xadrez. O russo Garry Kasparov, considerado o maior jogador de todos os tempos e três vezes campeão mundial e o americano Bruce Pandolfini, um dos instrutores mais renomados da história e consultor de Tevis. Kasparov declarou que muitas das jogadas descritas pelo autor eram “meio amadoras”. Ele fez, portanto, questão de representá-las fielmente na telinha, escolhendo jogos-chave e fazendo com que ficasse o mais autêntico possível.

Personagem principal da série O Gambito da Rainha
O diretor e roteirista Scott Frank contou com a ajuda de dois gênios do xadrez

3.Mulheres e o Xadrez

A produção se passa nos EUA dos anos 60 e acompanha Beth em alguns torneios internacionais, como na França e na Rússia. Acontece que, naquela época, as mulheres não podiam participar do Campeonato Mundial de Xadrez. O direito só foi conquistado na década de 80, quando a palavra “homem” (“men’s”) saiu do nome oficial do evento. A partir disso, a mudança veio dos esforços de Susan Polgár, uma jovem húngara que defendeu a equidade de gênero e, inclusive, propôs o termo “aberto” (“open”) para designar a competição.

Leia também: GLOBO DE OURO 2021: VEJA OS INDICADOS DESSA EDIÇÃO

4. Guerra Fria dentro do tabuleiro

Na trama, Beth se mostra determinada a vencer todos os seus oponentes. Entre eles, está o russo Vasily Borgov (Marcin Dorociński), que, invicto, ameaça os sonhos da protagonista. A rivalidade se estende ao longo dos episódios, ajudando a ilustrar o momento histórico que o mundo atravessava, ou seja, a Guerra Fria. Sendo assim os EUA e a URSS disputavam hegemonia sobre os mais variados campos – como economia, poder bélico, corrida especial, esporte e cultura.

Os atores Thomas Brodie-Sangster e Anya Taylor-Joy em cena da série O Gambito da Rainha
Na trama, Beth se mostra determinada a vencer todos os seus oponentes

Os soviéticos eram obcecados por xadrez, e cada família tinha seu próprio tabuleiro. Originalmente destinado às elites do país, o jogo virou um importante artifício comunista para a luta de classes. Lenin chegou a chamá-lo de “arma política”, de modo que, no período pós-Segunda Guerra, as partidas serviam como campo de batalha. Beth e Borgov personificam, assim, a polarização entre dois blocos ideológicos, bem como a necessidade de ganhar a qualquer custo.

5. Figuro e sua evolução pessoal

No início da trama, Beth surge como uma menina órfã que não tira o uniforme da instituição Methuen. O vestido e o avental cinza marcam uma época sombria de sua trajetória. Onde se vê presa à rigidez do orfanato e à solidão em meio a tantas garotas como ela. Portanto, à medida que cresce e passa a morar com sua mãe adotiva, Beth vive uma mudança radical de estilo e se revela uma entusiasta da moda. Com looks cada vez mais glamorosos, ela oscila entre diferentes personas, até encontrar sua verdadeira identidade.

https://youtu.be/cnqV3wsZlpo

Séries para quem amou Maxton Hall Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI