...
Confira tudo sobre a Série Loki

Série Loki termina sua primeira temporada

As quartas-feiras nunca foram tão emocionantes desde a estreia da série Loki, especialmente com uma renovação do personagem. Diante dos seis episódios, é possível notar uma mistura de sentimentos com relação ao protagonista. Além disso, vimos uma abertura aprofundada a respeito dos Multiversos, no qual é uma das características mais presentes dentro da Marvel. Mas será que a série Loki é tudo isso mesmo?!

Relembre também: Primeiras Impressões sobre a série Loki

O início do Multiverso:

Leia mais sobre Série Loki
A série Loki fala com profundidade sobre o Multiverso

Como numa boa metanarrativa, algum personagem falaria em Loki que o importante não é o destino, e sim a jornada. Afinal, vemos uma completa transformação em dois setores. O protagonista e o Multiverso. Em primeiro lugar, vamos debater o segundo setor. Pois pode levar a Guerras Secretas como uma próxima grande saga. Apresentado de forma lenta e explicativa, a característica é um dos pontos fortes da produção e inicia um fator complexo das HQ´s. Especialmente pela quantidade de camadas que foram desenvolvidas ao longo das décadas.

Mesmo que tenhamos outras sub-tramas, esse é um dos pilares que trazem o diferencial da obra. Sem contar os cenários explorados e o uso de uma incrível trilha-sonora. Diante do fã que já aguarda o Multiverso com o calendário do MCU nas mãos, talvez a temporada tenha sido o começo de uma grande aventura. Ou seja, segura a emoção.

Um lado emotivo e diferente de Loki:

Confira a crítica da série Loki
Loki ( Tom Hiddleston) e Syvie ( Sophia Di Martino) em um dos episódios da série Loki

Uma das questões da série é saber o que Loki, o personagem de Tom Hiddleston apresentado como vilão e redimido como herói, aprendeu com tudo isso. E nesse ponto a temporada exercitou de forma bastante consistente, e até empolgante, a tal metanarrativa. A partir do momento em que Loki se descobre um peão num tabuleiro muito maior que os Nove Reinos, ele começa a se questionar a respeito de tudo. A própria busca pelo livre arbítrio se torna o seu objetivo e o seriado não poderia ser outra coisa senão um grande comentário sobre a jornada.

Contudo, é fato que Sylvie e Mobius foram dois motivos que o deixaram cada vez mais “emotivo” e forte, psicologicamente. Principalmente capaz de um altruísmo pragmático que o coloca, muitas vezes, em confronto com as decisões heroicas mais idealistas de seus colegas.

Veja também: Sabe quem é- Sophia Di Martino, da série Loki

Afinal, vale a pena?!

Foi um caminho longo e tortuoso que a dupla de variantes percorreu até aqui, no qual a série Loki construiu com óbvio cuidado e afeto. Desde a desconstrução do Loki de Hiddleston no capítulo de estreia, passando pela revelação da história de Sylvie em “Lamentis” (1×03). Incluindo que a relação dos dois é muito mais aprofundada e complexa do que se espera. O confronto pelo qual eles passam em cada etapa também revela o trabalho cuidadoso dos roteiristas em apresentar um nova visão da figura do Deus da Trapaça.

Com calma e paciência, a primeira temporada consegue seguir a trilha de “WandaVision” e expandir os limites temáticos da Marvel de forma complexa. O que empolga vem de sua história de confusão temporal, a dinâmica dos personagens, cenas de ação e a perspectiva da introdução de um grande vilão. Mal podemos esperar pela segunda temporada para a conclusão do glorioso propósito.

Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO