...

“Bebê Rena”, a série original da Netflix escrita e estrelada por Richard Gadd, é uma intrigante incursão no mundo das séries dramáticas contemporâneas. Se você ainda não sabe sobre o que é a série, vem comigo que vou te contar.

A história de “Bebê Rena”

“Bebê Rena” narra a vida tumultuada de um comediante em ascensão, interpretado por Richard Gadd que também é o escritor e ator principal da série. Tendo como plano de fundo a cinzeta Londres, a série original da Netflix é baseado em uma história real e na peça de Richard Gadd, lançada em 2019.

Em “Bebê Rena” vamos acompanhar a história do comediante e escritor Donny Dunn, vivido pelo próprio autor Richard Gadd, que se envolve com Martha, uma mulher vulnerável que está passando por seus próprios problemas.

Devido a um chá servido por conta da casa, essa gentileza de Donny com Martha acaba sendo interpretado de outra forma e o relacionamento entre os dois vai seguindo para uma estranha obsessão, que encurrala Donny a enfrentar um trauma profundo e sombrio de sua vida.

A trama segue os altos e baixos da carreira e vida pessoal desse comediante e a conturbada obsessão de Martha, enquanto eles enfrentam desafios relacionados à saúde mental e traumas do passado.

“Bebê Rena” e sua capacidade de equilibrar humor inteligente com momentos de reflexão

Uma das maiores virtudes de “Bebê Rena” é a sua capacidade de equilibrar humor inteligente com momentos de reflexão emocional. Richard Gadd destaca-se tanto como escritor quanto como ator. Em apenas 6 episódios de 25 a 30 minutos, Gadd consegue transitar entre o sarcástico e momentos com mais profundidade emocional que transcende as expectativas e deixa a série ainda mais instigante.

Além disso, “Bebê Rena” se destaca pela sua abordagem honesta e muitas vezes ousada dos temas da atualidade. Alguns dos assuntos principais da série são: saúde mental, relacionamentos tóxicos e autoconhecimento. Gadd não teve medo de confrontar os espectadores com questões difíceis, muitas vezes abordadas de maneira franca e sem rodeios. Contudo, vale ressaltar que a série é cheia de gatilhos e a indicação é para +18.

Outro ponto forte de “Bebê Rena” é o seu elenco diversificado e talentoso. Além de Richard Gadd, os coadjuvantes oferecem performances notáveis que complementam e enriquecem a narrativa.

“Bebê Rena” não está isento de falhas. Em alguns momentos a trama pode parecer um tanto previsível e alguns arcos de personagens são tão desenvolvidos em comparação com outros. O que deixa certas questões pendentes ou resoluções pouco satisfatórias.

No entanto, essas falhas são em grande parte eclipsadas pelo brilho geral de “Bebê Rena”. Com sua mistura única de humor, emoção e crítica social perspicaz, a série se destaca como uma adição bem-vinda ao catálogo da Netflix.

Conclusão sincera sobre Bebê Rena

“Bebê Rena” é uma minissérie envolvente, atrativa e que trata de assuntos da atualidade. Aliás, é uma série que foca em alertar sobre a necessidade de mais atenção para o cuidado da saúde mental.

Além de ter um desenvolvimento muito bom, os episódios curtos e sempre interligado no outro ajuda essa fluidez na narrativa. Não senti a hora passar e quando percebi só faltava o último episódio. Outro ponto é que a série vai crescendo a cada episódio e vai mostrando realmente o que eu o autor quer mostrar.

Sobre o final, não me emocionei igual muitas pessoas. Porém, entendo que a explicação para ter Martha essa obsessão por Donny é algo bem delicado e que choca. E essa é uma das críticas da série: sobre o cuidado com a saúde mental e como ela pode te destruir e destruir outros.

As vezes nos tornamos dependente emocionalmente de uma pessoa e talvez só perceberemos isso apenas quando já estamos no nosso limite. Essa romantização do relacionamento tóxico (romântico ou não) é algo que precisamos ter muito cuidado. Ademais, a pessoa pode não parecer tão frágil, mas por dentro ela está cheia de traumas, com medo, se desmoronando, porém está tentando levar a vida. Ou seja, não dá para julgarmos só pelo que estamos vendo.

Bebê Rena é uma série que pode parecer um drama simples, com uma pitada de comédia, mas não é. A série causa um certo desconforto em algumas partes, tem cenas pesadas que causam gatilhos, diálogos densos e reflexivos. E o que mexe mais ainda é quando você descobre que é baseado na história do autor e que também é o protagonista.

Leia também: O Simpatizante: A série da Max baseada no livro de Viet Thanh Nguyen

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO