Há muitos elementos e inúmeros profissionais envolvidos na realização de um filme. Muitas vezes, porém, cabe a poucos salvar uma produção, seja do desastre ou do esquecimento. É o caso de A Esposa, que depende completamente da atuação de Glenn Close para se tornar memorável. A obra, baseado no livro de Meg Wolitzer e roteiro assinado por Jane Anderson, conta a história  de Joan Castleman (Close), uma escritora que emprestou seus talentos para o marido, Joe Castleman (Jonathan Pryce), e começa a repensar esse acordo ao vê-lo receber o prêmio Nobel de Literatura.

Basicamente, o filme gira em torno de ressentimento, no qual o diretor, Björn Runge, capta com precisão ao centrar todos os seus esforços em Close. Sem dizer quase nada, a atriz dá à personagem camadas ausentes no restante da narrativa. Transitando entre passado e presente, o roteiro sustenta a trama em torno de clichês que seriam incontornáveis. O escritor e seu ofício são tratados por meio de estereótipos que não cabem em um longa que justifica a parceria entre os Castleman justamente pela capacidade de Joan em criar personagens únicos e tridimensionais. Close supera essa deficiência, mas outros não têm o mesmo espaço. Sempre competente Pryce se vê preso no arquétipo do medíocre em negação, sem estabelecer um verdadeiro contraponto à mágoa da esposa.

Joan Castleman (Glenn Close) e Joe Castleman (Jonathan Pryce) em “A Esposa”

Essa relação é agravada pelos flashbacks, convincentes para estabelecer o romance entre os dois, muito pela química entre Annie Starke e Harry Lloyd, as versões jovens de Joan e Joe, mas incapazes de adicionar consistência ao presente. Como Joe se torna um velho bobo e pretensioso, a devoção de Joan não se sustenta, assim como o acordo entre os dois. Ela aceitou ficar às sombras “porque um escritor precisa escrever” e acreditava que jamais seria reconhecida ou teria oportunidades na profissão por ser uma mulher. Se no passado isso se justifica como uma parceria entre o casal, a situação do presente deixa uma lacuna: em que momento ela aceitou se anular completamente? Quando ele justificou para si mesmo que merecia colher sozinho todo o reconhecimento sem sentir qualquer traço de culpa?

Os personagens secundários escancaram a fragilidade da história ao ter funções específicas para que a narrativa se desenvolva. David Castleman (Max Irons), o filho do casal, existe somente para que eventualmente Joan seja questionada e abandone a sua postura resignada. O mesmo vale para Nathaniel Bone (Christian Slater), o biógrafo que surge para plantar a semente da discórdia sempre que a passividade de Joan ameaça deixar tudo como sempre esteve.

Joan Castleman (Glenn Close), David Castleman (Max Irons) e Joe Castleman (Jonathan Pryce)

O que Close faz entre tantas ressalvas é levar para o público a aflição da sua personagem. No seu olhar está a dor de um segredo, a angústia da injustiça e os sacrifícios e as incoerências de quem ama profundamente. A Esposa se torna então um filme no qual sua atenção fica direto no talento da atriz, no qual está concorrendo na categoria de “Melhor Atriz” no Oscar 2019 e Gleen Close é a favorita ao prêmio, pelo fato de que ela carrega o projeto nas costas. O que, no fim das contas, não deixa de ser um feito também da direção, que soube aonde olhar para transformar ordinário em notável na sua representação do desgosto.

Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO FILMES DE ANIMAÇÃO QUE TAMBÉM SÃO COMÉDIAS ROMÂNTICAS LIVROS SOBRE MITOLOGIA GREGA, ALÉM DE PERCY JACKSON LIVROS QUE LEMBRAM “TODOS MENOS VOCÊ” ONDE ASSISTIR OS INDICADOS AO OSCAR 2024? LANÇAMENTOS DA EDITORA ALT EM 2024 Livros que serão adaptados em 2024 Contos natalinos para você ler no Kindle Unlimited Willy Wonka: Conheça as versões do personagem