...

O mundo mágico da Disney é a primeira coisa que vem à mente quando se fala de infância. Conhecida por suas encantadoras animações, ela não decepciona quando o assunto é relacionado às famosas princesas. Ultimamente a Disney tem focado muito nas adaptações de suas animações para personagens reais, principalmente nos personagens que envolvem a alta realeza, como por exemplo, Cinderella. Porém, são sempre adaptações, nunca fiéis aos seus desenhos.

Até que a mesma entrou em uma nova era com um projeto ambicioso: trazer fidelidade às suas adaptações; e o piloto dessa aventura cinematográfica vem de uma das suas mais famosas animações: A Bela e a Fera.

A animação de 91 conta a história de uma singela moça de vila chamada Bela, que mora com o pai em um vilarejo na região da França, até que o mesmo é capturado por uma fera que habita em um castelo da região. Sem pestanejar, ela decide se entregar em troca da liberdade de seu pai. Com o tempo no castelo, ela descobre a magia que reside no local e que a fera, na verdade, não é tão fera quanto faz parecer ser.

A adaptação de 2017 traz a queridinha Emma Watson (Harry Potter) e o galã Dan Steves (O Quinto Poder) na pele dos personagens principais, além da presença de grande elenco, como Luke Evans (Drácula), Ian McKellen (X-Men), Emma Thompson (Nanny McPhee) e outros nomes. O filme traz ainda a direção de Bill Condon, conhecido por dirigir nomes conhecidos do cinema musical como ‘Chicago’ e ‘Dream Girls – Em busca de um sonho’. Condon tomou para si a responsabilidade de produzir uma adaptação com o objetivo de ser o mais verossímil possível com o original. E há de se admitir que o mesmo fez isso com maestria.

Assim que começam os primeiros minutos de filme, é inegável lembrar da época em que o filme só existia em VHS. O baile do príncipe, a velha feiticeira que adentra pedindo por abrigo em troca de uma rosa e a maldição que cai sobre a alta realeza. Fora as músicas, em que as letras e as melodias são as mesmas da animação. As que mais chamam atenção são a canção que a Bela canta no vilarejo e a que o personagem Lumière canta na mesa de jantar. A caracterização dos personagens é algo a se notar. O figurino dos personagens humanos, a humanização dos objetos que outrora foram amaldiçoados, tudo está impecável.

Mas o ponto alto do filme foi a cena mais conhecida: a dança entre a Bela e a Fera, em que o bule de chá (Madame Samovar, interpretado por Emma Thompson) canta “Sentimentos São”, a música mais conhecida de todas as animações já produzidas pela Disney. Nessa hora, não tem quem não se emocione e que não se arrepie com a lembrança de uma animação que marcou de forma tão grandiosa uma infância longínqua.

São perceptíveis a sensibilidade e o cuidado que o diretor teve no momento de compor a obra. Houve cenas que antes não existiam? Sim, houve, mas nada que atrapalhasse o andamento do roteiro, pelo contrário, até ajudaram a clarear alguns detalhes. Com certeza quem entra na sessão entra com expectativas bem altas, mas sai com um sorriso no rosto e gostinho que remete à infância.

 

Por: Rachel Guarino

Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO