...

Em 15 de agosto de 1939 estreava nos cinemas o filme O Mágico de Oz (The Wizard of Oz), um dos filmes mais icônicos do cinema. O longa é um dos filmes de maior sucesso de todos os tempos e alçou Judy Garland como um dos maiores fenômenos do cinema. Escrito por L. Frank Baum e publicado pela primeira vez em 1900, ganhou sua primeira adaptação três anos depois. Além disso, trouxe inovações para a edição e uma nova forma de contar uma história tão marcante na literatura. Então vamos algumas curiosidades sobre a produção dessa obra-prima da sétima arte.

1.Direção

O filme teve cinco diretores ao todo: Richard Thorpe iniciou as filmagens e rodou diversas semanas até ser demitido porque o resultado não agradara e nenhuma de suas cenas está no resultado final; George Cuckor foi contratado como temporário logo depois e não chegou a dirigir nenhuma cena; o próximo foi Victor Fleming que rodou boa parte das cenas mas abandonou o longa ao ser convidado para dirigir “…E O Vento Levou”; King Vidor assumiu o posto então, rodando boa parte das cenas no Kansas; o produtor Mervyn LeRoy também chegou a dirigir algumas cenas. Mesmo com tudo isso, que assina o filme é Victor Fleming.

2.Produção

A MGM pagou a L. Frank Baum, autor do livro, a quantia de $75 mil dólares pelos direitos para adaptá-lo para o cinema. Quantia considerada exorbitante para a época, sendo que Walt Disney queria filmar O Mágico de Oz logo após lançar Branca de Neve, mas a MGM já possuía os direitos do livro. Ao todo, o filme teve 14 roteiristas, que foi escrito tendo em mente o ator C. Fields para interpretar o mágico de Oz, porém o produtor Mervyn LeRoy procurou antes Ed Wynn, que recusou o papel. LeRoy ofereceu então um salário de US$ 75 mil a Fields, que recusou e pediu US$ 100 mil. Foi a vez então do produtor recusar a oferta.

3.Tecnicolor

“O Mágico de Oz” (1939)

Mágico de Oz foi produzido com o que havia de mais moderno na época, o tecnicolor. Mas para não ficar tão caro, foi decidido que as partes do Kansas seriam feitas em P&B. Os efeitos especiais foram absolutamente inovadores para a época. Para se reproduzir o tornado na cena em que ele atinge a fazenda dos tios, foi utilizada uma meia calça. Um primor de engenhosidade.

4.Visual

A estrada de tijolos amarelos inicialmente seria verde. A mudança de cor aconteceu após uma das paralisações nas filmagens, quando ficou definido que a cor amarela seria a melhor a ser usada em um filme feito com Technicolor.O mesmo aconteceu com os sapatinhos de Dorothy que no livro eram prateados mas por causa do advento do Technicolor foram transformados nos icônicos sapatinhos vermelhos de rubi.

5.Judy Garland

Judy Garland usaria uma peruca para sua personagem

Judy tinha 16 anos quando o filme foi realizado e usou um espartilho bem apertado, que tentava esconder os sinais de uma adolescência, afinal a Dorothy deveria ter 10 anos. Incluindo que nos primeiros testes de roupas, Dorothy aparecia de cachinhos dourados. Quando o diretor a viu, arrancou a peruca, tirou a maquiagem dela, escolheu também um vestido mais simples.

6.É difícil ser um Leão

A maquiagem usada no personagem do Leão covarde incluía pedaços de papel marrom. Sua roupa pesava mais de 90 quilos e era muito quente. A união disso com a temperatura da iluminação fazia com que ele suasse profundamente durante as filmagens e saísse ensopado no final do dia. Duas pessoas passavam a noite lavando o traje a seco para ser usado no dia seguinte. Não tinha um cheiro muito agradável.

7.Munchkins

Trezentos e cinquenta anões foram contratados para fazerem os papéis dos habitantes de Munchkinland. Eles ganharam 50 dólares por semana enquanto que Totó recebia 125 pelo mesmo período. Além disso, várias das vozes dos munchkins foram dubladas por cantores profissionais, já que muitos de seus intérpretes não sabiam cantar ou até mesmo não falavam inglês corretamente. De todos os munchkins apenas dois deles têm a voz real de seus intérpretes ouvida em O Mágico de Oz: aqueles que entregam a Dorothy um buquê de flores, logo após sua chegada a Oz.

8.Acidente em Oz

Margaret Hamilton sofreu queimaduras de terceiro grau durante as filmagens

A atriz Margaret Hamilton, intérprete da Bruxa Má do Oeste, teve que ficar afastada dos sets de filmagens por mais de um mês, após ter se queimado seriamente ao rodar a cena do desaparecimento de sua personagem da terra dos munchkins. Sua dublê, utilizada para substituí-la nesta cena, também se queimou durante as gravações.

9.Os problemas em ser um Homem de Lata

Buddy Ebsen teve uma reação alérgica à maquiagem, que continha pó de alumínio. Com problemas respiratórios, o ator teve que ser levado às pressas ao hospital. Enquanto estava internado, soube que havia sido substituído por Jack Haley. O ator disse que esta foi a maior humilhação de sua carreira. Ebsen também sofreu cortes e ferimentos com a roupa de Homem de Lata.

10.Fracasso

O filme foi um fracasso de bilheteria em sua estreia. Somente anos mais tarde é que se tornou um sucesso. O Brasil foi um dos poucos países onde o filme foi bem sucedido nas bilheterias, em sua exibição inicial. O Mágico de Oz’ tornou-se o fenômeno que é ainda hoje apenas quando foi relançado em 1949 e, principalmente, quando foi exibido pela primeira vez na TV, em três de novembro de 1956, na CBS. Estima-se que 45 milhões de pessoas tenham assistido a transmissão.Encorajada pela resposta positiva, a CBS decidiu torná-lo uma tradição anual, exibindo-o todo mês de dezembro, de 1959 até 1962, no horário nobre. Desde então, o filme foi apresentado na televisão apenas uma vez por ano por mais de duas décadas. O longa foi lançado em VHS em 1980 e em laserdisc em 1989. O lançamento do primeiro DVD do filme foi em 26 de março de 1997.

Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO