...

No ano de seu lançamento, em 2010, o filme foi proibido em diversos países ao redor do mundo, inclusive no Brasil, sob a justificativa de referências à pedofilia. A Serbian Film trata do terror extremo e usa para isso algo que sempre será um tabu: o sexo, traduzido no filme de Spasojevic na abordagem de snuff movies.

O longa nos conta a história de Milos (Srdjan Todorovic), um homem comum, com uma bela esposa (Jelena Gavrilovic) e um pequeno filho. Porém, problemas financeiros assolam a paz dessa família e para tentar resolver a crise, o patriarca resolve voltar à ativa em sua carreira de sucesso: um famoso e reconhecido ator pornô na Sérvia, conhecido por sua eterna ereção. Milos recebe uma proposta milionária (e muito suspeita, diga-se de passagem) de Vukmir (Sergej Trifunovic), um excêntrico cineasta, que contrata o astro sob a justificativa de produzir um filme artístico, a revolução dos pornôs. A partir dessa premissa, iniciam-se as gravações do misterioso filme de Vukmir, onde tudo parece uma grande conspiração, levando Milos a executar ações sem conhecê-las previamente.

A polêmica, no entanto, tem plena razão de existir: Um Filme Sérvio é dos mais legítimos herdeiros dos gore movies, e desfila necrofilia, violência extrema, mutilação de corpos, estupro, etc. Mas se fosse apenas isso a película se igualaria aos seus pares de gênero como O Albergue, Jogos Mortais e Hellraiser. A diferença desse filme sérvio para com os demais é que ele toca no núcleo familiar em plena crise dessa instituição, crise altamente propagada pela mídia, em especial a onda pedófila e a violência conta as mulheres. O estupro de um recém-nascido e uma cena de incesto com um garoto são dois dos principais fatores para tornar A Serbian Film uma realização no mínimo desprezível. Não fossem, portanto, essas cenas, a obra passaria quase em branco, e certamente figuraria na mesma estante em que se encontra Holocausto Canibal e Jenifer – Instinto Assassino.

Em todas as declarações dos vetores, vemo-nos dizer não ter assistido ao filme, e que baseiam sua decisão apenas no que leram sobre a película. Ao assistirem veriam que, apesar de descartável e infeliz, o filme se auto-condena e no que concerne à violência, não difere muito de nenhum filme exploitation; no que concerne ao sexo e à tortura, não difere muito de Salò – Os 120 Dias de Sodoma; e no que concerne à pedofilia, não difere muito das fotos, notícias e vídeos jornalísticos com suas tarjas pretas, veiculados pela televisão de todo o país.

A Serbian Film não é filho único na história dos “malditos” no cinema, e certamente não será o último. Diversas outras realizações já trouxeram o horror gore às últimas consequências e continuarão a surgir outros exemplares. Se a qualidade desse tipo de filme fosse ao menos louvável, dedicaríamos mais algumas linhas para analisá-las e discuti-las. Como não é o caso, termino dizendo que a única coisa boa em A Serbian Film é a edição. A Serbian Filme é uma película ruim e chocante, mas a sua proibição (pelo menos temporária aqui no Brasil), está de mãos dadas com tudo de ruim que ela traz.

Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO