...

Resenha da obra "O Martelo das Feiticeiras"

A obra Malleus Maleficarum – O Martelo das Feiticeiras é fundamental para compreensão de alguns momentos marcantes da história da Humanidade. Além de ser um retrato real sobre a perseguição das mulheres.

Escrito em 1484 pelos inquisidores Heinrich Kreaemer e James Sprenger, o livro é dividido em três partes. Iniciando com a explanação sobre as três condições necessárias para a bruxaria. Em seguida, abordando os métodos pelos quais ocorrem os malefícios aos outros indivíduos e como podem ser curados. Por fim, são tratadas as medidas judiciais no Tribunal Eclesiástico e no Civil a serem tomadas contra as bruxas e outros hereges.

Ainda na última parte, são descritas 35 questões para a instauração dos processos contra essas bruxas e hereges, demonstrando quais serão as formas de aplicação das penas e os métodos até chegar as sentenças definitivas. Incluindo diversas ilegalidades durante o julgamento dessas mulheres, como confissões, delações de terceiros, torturas e tratamentos desumanos.

Antes de qualquer coisa, é bom enfatizar que a obra ocorreu durante uma época que o ambiente extremamente desigual. A Igreja era o centro de tudo o que era ditado e realizava diversas ações em prol de “salvar” a humanidade. Isso resultou a morte de milhares de mulheres, no qual estima-se que a maioria foram executadas por bruxaria. É difícil nomear as palavras certas com um conteúdo muito delicado. Ao mesmo tempo que dá vontade de criticar o livro como um todo, precisamos olhar com uma diferente perspectiva.

Obra o martelo das feiticeiras
Resenha da obra “O Martelo das Feiticeiras”

O manual deixa explicito os pensamentos e conclusões de um momento extremamente marcante. Nas palavras dos dois inquisidores, era dado exclusivamente às mulheres a culpa sobre atos de feitiçaria, porque eram fracas e passíveis às ciladas do diabo.

A religião católica e a protestante centralizaram o poder e criaram os tribunais inquisidores. Através de juízes dotados de poderes totais, correram por toda a Europa. Dessa forma, torturando e assassinando todas que detinham conhecimento proibido ao gênero, assim consideradas bruxas e queimadas em fogueiras. Politicamente, o objetivo era recolocar a plebe, os camponeses, submetidos a seus senhores feudais. Principalmente as mulheres.

Não é possível sequer imaginar a barbárie que cada uma das partes expõe, os absurdos de flagelos que eram cometidos legalmente contra as mulheres, os níveis de tortura e mortes. A leitura é extensa, detalhada, e é muito difícil de concluir. Porém, pode ser utilizado como um documento histórico. Especialmente,  do quanto o homem pode descer a níveis de crueldade que ultrapassam qualquer traço de humanidade. Ainda mais que foi aceito durante séculos, apenas pelo medo e pela imposição religiosa.

O Martelo das Feiticeiras é uma leitura para quem deseja estudar um período histórico nefasto, já que descreve uma realidade muito marcante. Incluindo que a edição da Editora Rosa dos Tempos tem uma contextualização histórica escrita por Rose Marie Muraro, patrona do feminismo brasileiro. Dentro do texto, ela conta como é fundamental a leitura para compreender as motivações por trás dessa perseguição. Sem dúvida, retratam questões polêmicas que podem ser abordadas nos dias atuais.

Séries para quem amou Maxton Hall Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI