...

Desde que comecei nesse mundo de doramas, poucos são os que me impressionaram tanto quanto Goblin. Se alguém pedir sugestão de drama coreano, eu vou indicar Goblin, sem dúvidas, pois é um enredo que envolve de tudo um pouco, sem perder sua essência. A trama envolve história, passado, presente, magia, lenda, comédia, romance, mistério, ou seja, é literalmente um drama para todos os gostos.

Goblin, interpretado pelo renomado ator Gong Yoo, conta a história de um guerreiro da dinastia Goryeo que é traído por seu próprio rei, que o mata sem dó nem piedade, com uma espada cravada no peito. Porém, por ter escolhido a morte invés da honra, Deus o traz de volta como um Goblin, um ser imortal com a função de proteger certas almas de uma vida de sofrimento. Porém, cansado da imortalidade, ele começa a busca pela sua noiva, a única que pode ver a espada em seu peito e a retirar, dando fim à sua vida eterna. Quando ele enfim a encontra, nada acontece como esperado.

Goblin, também conhecido como ‘dokkaebi’, pelo folclore tradicional coreano, não são derivados de seres humanos, mas de objetos inanimados, pois na cosmovisão xamânica, que percorre na cultura coreana, acreditava-se que espíritos habitavam em tudo. De acordo com alguns relatos, a figura do ‘dokkaebi’ vem de ‘byeoksa’, uma religião nativa preocupada em expulsar demônios. Então, é interessante como eles adaptaram a crença do Goblin para o drama, principalmente por tomar a forma humana.

Focando mais na trama, a produção se supera em vários quesitos, como efeitos especais, que dão o tom certo, a fotografia, algumas das cenas que foram gravados em Quebec, no Canadá, e o roteiro, que te prende do começo ao fim, além da trilha sonora, que definitivamente é a cereja do bolo, principalmente a canção ‘Beautiful’, ganhando vários prêmios e ficando no topo das paradas sul coreanas durante um bom tempo.

+ Leia também: 5 K-dramas com beijões e muita pegação

A trama também aborda muito a questão de vidas passadas, de como temos 3 vidas na bagagem, acho muito interessante a forma delicada que eles tratam isso. Por exemplo, Goblin é imortal, porém, todos a sua volta tem um passado, uma outra vida nas costas, é bastante intrigante.

Um dos personagens mais icônicos de todo o show é o Ceifador, que também é baseado numa folclórica, no qual o mesmo é responsável por orientar os que recém faleceram para a vida após a morte. No drama, quem vira Ceifador é alguém que cometeu um crime horrível no passado, então é muito interessante a história por trás desse personagem. Saindo um pouco do lado misterioso, as cenas cômicas são ótimas, principalmente quando juntam o personagem do Goblin e do Ceifador durante os primeiros episódios, é risada na certa.

Os outros personagens também dão destaque ao enredo, como a noiva do Goblin, o par romântico do Ceifador (sim, até o anjo da morte tem um par romântico), o sobrinho do Goblin, e muitos outros. Cada um tem um passado que se junta de uma forma inesperada, então é muito interessante acompanhar toda a trajetória.

+ Leita também: 5 Doramas de suspense e terror para assistir

É um dorama que, sem pensar, classifico como nota 10. Ao longo de todo o enredo, ele vai te arrancar risadas, muitas lágrimas e muitas indagações da sua própria vida. Todos deveriam assistir, pelo menos uma vez, esse drama, que foi de um sucesso absurdo, tanto na Coreia do Sul, quanto no além Ásia. Só vendo que você entende o motivo de tanto sucesso.

Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO