...

Panic lançou lançou no Prime Vídeo em maio e vem chamando atenção de muitas pessoas, principalmente do público jovem e de quem é fã de grandes histórias como Jogos Vorazes,  Pretty Littler Liers e Riverdale. A série é a mistura certa de ação, suspense e romance.

Baseado no livro homônimo e escrito por Lauren Oliver (Antes que eu vá), a história fala sobre um jogo entre os formandos de uma cidadezinha que estão dispostos a tudo para levar o prêmio em dinheiro. Aqui vamos conhecer Heather que nunca pensou em competir no Panic (ou Pânico em português), mas depois de ser traída ela se vê desafiada a participar. Além de Heather, também vamos conhecer Dodge um jovem destemido e misterioso que está pronto para vencer esse jogo.

Todo mundo tem um motivo para participar e quando o jogo começa as coisas ficam muito mais sérias do que eles imaginaram. Panic deixará os participantes tanto com medo quanto com a necessidade dolorosa de encontrar um lugar para pertencer.

O que irei encontrar na série?

A série baseada em um livro que eu tentei ler, mas acabei achando um pouco arrastado e não terminei. Contudo, estou disposta a dar mais uma chance depois que assisti a série. Mesmo notando algumas mudanças logo no início. Ele foi lançado no Brasil em 2020 pela editora Verus e você consegue encontrá-lo nas livrarias ou no site da Amazon.

Panic te fisga logo no primeiro episódio com todo o mistério que irá ser trabalhado ao longo da trama.  Aqui temos as principais perguntas: o que é essa competição? quem serão os participantes desse ano? E principalmente, o que aconteceu com os dois jovens que morreram na última edição?. Ou seja, uma narrativa cheia de mistérios que é apresentada logo de cara.

Além disso, a série tem um ótimo desenvolvimento, não é arrastada e consegue dividir bem todas as histórias nos seus 10 episódios de 40 minutos. Cada capítulo é um desafio diferente e cada vez mais desafiador. O que eu achei interessante nessa história toda é que existem regras no jogo, óbvio, mas não tem aquela essência de você precisa eliminar o seu adversário. Não pelo menos entre os participantes. A questão aqui é os participantes se desafiarem, enfrentarem seus medos e seus limites, mas cada um por si.

Leia também: 5 SÉRIES PARA ASSISTIR NO PRIME VÍDEO

Mas vamos falar dos personagens?

Eu amo a construção de bons personagens, principalmente aqueles que você consegue sentir seus sentimentos do outro lado da tela. Aqui temos a Heather que tem muito essa energia. Por mais que ela divida o papel principal com Dodge (afinal ele tem uma história que move a história), ela é o maior destaque.

Heather é uma jovem forte, destemida e leal, mas ela só descobre isso quando começa a participar do jogo e se vê capaz de enfrentar um tigre para salvar quem ela ama. Ela não é uma jovem popular, riquinha, que tem tudo na mão, muito pelo contrário. Heather vive com a mãe que é alcoólatra que sofre violência doméstica pelo namorado, tem uma filha mais nova no qual Heather cuida como se fosse a mãe. Você logo é cativado pelo papel da jovem com uma família nada perfeita.

Mas não vamos tirar o mérito de Dodge. Ele é perfeitamente misterioso e focado, sua história também é um ponto alto de toda a série. O jovem está determinado a ganhar o Panic para se vingar e ajudar sua irmã no tratamento para voltar a andar. A única coisa que achei um pouco sem sentimento foi o relacionamento dele com Natalie. Sei lá, esperava mais entrega dele, queria casal.

Entretanto, mesmo não tendo um casal bacana entre Dodge e Natalie, a série entrega uma dupla cheia de química e tensão. Heather e Ray é o casal da série, maravilhosos que logo no início você já sente que algo vai rolar com eles. O interessante aqui é que ambos estão no mesmo barco no sentido classe social e com pais problemáticos. Achei bem legal eles fugirem do clichê da menina pobre ficar com o cara rico, ou vice e versa.

Mas e aí, vale assistir?

No geral, a história tem muito o que entregar e por isso acaba sendo muito assunto para pouco tempo de desenvolvimento e as coisas acabam se perdendo. Talvez algumas cenas um tanto quanto cansativas e desnecessárias enquanto poderiam ter trabalhado outros momentos mais impactantes. O final eu achei um pouco corrido, tudo que eu queria ver ao longo da série eu vi nos últimos 10 minutos. Mas valeu, pois foi um final coerente, eletrizante e que deixou sim com o gostinho de quero mais.

Vale dizer que alguns episódio são gatilhos e eles deixam isso bem explícito antes do episódio começar. Além de ajudarem com a informação sobre o assunto. Eles também deixam bem claro que aquilo é penas uma ficção.

Então vale apena assistir? Sim, Panic é uma série viciante que tem tudo para conquistar o público jovem e até mesmo os devoradores de livros. Além de ter uma produção muito boa, com um elenco bem jovem e competente (incluindo o filho do Jack Nicholson por quem estou apaixonada) e rápida. Ou seja, assista!

Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO