...
Série Dash e Lily Netflix

Crítica Dash e Lily, nova série da Netflix

Com a promessa da Netflix, nesta época de final de ano, Dash e Lily  traz uma comédia romântica doce e bastante dinâmica. Baseado nos livros de David Levithan e Rachel Cohn, dois jovens compartilham desafios, sonhos e desejos em um caderno. Dessa forma, ambos descobrem uma nova perspectiva de vida e sentimentos impossíveis de descrever.

Sabe aquela produção que aquece o coração e mostra que o amor pode vir das maneiras mais peculiares?! Essa foi a principal sensação que tive ao assistir a produção. É claro que ela possui uma narrativa típica de produções natalinas. Enquanto um personagem é cético, introspectivo e odeia o Natal, o outro é extrovertido, amigável e tem a data como sua época favorita do ano. Aqui, o “Grinch” da história seria Dash.  Traumatizado pelo divórcio dos pais e pelo término de seu último relacionamento, ele decide passar as festas de fim de ano completamente sozinho. Já Lily, muito próxima de sua família, se decepciona ao perceber que, pela primeira vez na vida, terá que passar o Natal longe de seus parentes.

Série Dash e Lily
Dash ( Austin Abrams) com o caderno especial

Assim, através do caderno, os dois se conectam pelo sentimento de solidão que estão sentindo naquele momento. Mesmo sem se encontrar pessoalmente, encontram nessa relação um lugar de conforto em que eles podem ser honestos. A cada desafio terminado pelos dois, novas histórias dos personagens são reveladas e aos poucos vemos a fundo a realidade de ambos. Quando este detalhe se desenvolve,  é comum que pode haver uma certa antipatia em algum dos personagens. Porém, não é o que acontece aqui.

Dash e Lily amadurecem seus próprios pensamentos e atitudes, no qual até o elenco secundário se surpreende até demais. Além disso, os adolescentes são facilmente identificáveis e palatáveis, mesmo em cada estereótipo. Para reforçar isso ainda mais, o carisma dos atores é estonteante e  e se torna quase impossível não simpatizar com eles. Austin Abrams consegue transformar um personagem essencialmente adverso em alguém encantador e charmoso. Enquanto que Midori Francis chega como uma bela surpresa. Através de uma adolescente com particularidades, ela demonstra uma pessoa frágil e cativante, por quem o espectador torce para que encontre a felicidade.

Netflix Dash e Lily
Cena com Lily ( Midori Francis) na produção “Dash e Lily”

Além dos protagonistas, a série ainda aposta em um elenco bastante diversificado, com atores de diferentes etnias e orientações sexuais. E não posso deixar de mencionar a pequena participação da banda Jonas Brothers, já que Nick Jonas é um dos produtores dessa produção. Falando nisso, o cenário todo encantador e mágico de Nova York, clássico do gênero,  conquista e dá aquela vontade de ter uma experiência semelhante.

Então, Dash & Lily surge como uma adorável comédia romântica e tão confortável como o Natal deve ser. E, em um momento em que o mundo se vê paralisado por uma pandemia e marcado pela incerteza política, ela cumpre seu papel e presenteia o espectador com algo necessário: escapar do mundo real, nem que seja por algumas horas.

Bridgerton (3ª): O esperar da parte dois? Séries para você assistir no Dia das Mães As Melhores Trilhas Sonoras de Todos os Tempos Filmes de terror para assistir em maio 2024 FANFICS QUE VIRARAM FILMES PRODUÇÕES SOBRE FÓRMULA 1 A verdade sobre Bebê Rena Rota literária: conheça o aplicativo para leitores Top Filmes com ex-RBD FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO