Hoje vamos dar início a uma nova coluna no site sobre curiosidades. Como janeiro está sendo um mês de apresentação da nossa equipe, hoje venho com uma curiosidade sobre o tema que deu origem ao site.

Você já ouviu falar sobre? Tem ideia do que pode ser? Você sabe que fazer resenha de livro, crítica de filmes e etc é uma forma de fazer jornalismo? Então vamos conhecer um pouco mais sobre esse gênero apaixonante que extrai o melhor, ou o pior, de cada um.

O Jornalismo Literário surgiu em 1960 como um estilo que mistura o texto jornalístico e a literatura. Tem como objetivo produzir uma reportagem profunda de forma elaborada, detalhada e de postura ética e humanizada. O jornalista deste gênero pode escrever fora dos padrões estabelecidos pelo tradicional lead e colocar seu ponto de vista usando a subjetividade.

No campo jornalístico, tanto a visão da objetividade quanto a da subjetividade estão apoiadas na ideia de que ambas são formas de garantir informação; mesmo a objetividade sendo um atributo para um texto claro e conciso apresentando um ponto de vista neutro, enquanto a subjetividade é uma forma de colocar as emoções de quem escreve.

As diferenças entre o jornalismo literário e o jornalismo tradicional vão além da estrutura da narrativa. Os jornalistas que se aventuram neste gênero não devem ficar restritos a fonte oficial. Esse é um jornalismo narrativo em que o autor busca expressar a realidade contando histórias utilizando pessoas reais como foco dos acontecimentos.

A liberdade temática proporcionada pelo jornalismo literário atrai jornalistas e leitores por apresentar os fatos de forma mais detalhada e profunda. Além disso, qualquer tema pode ser pauta para este jornalismo.

No Brasil, o jornalismo literário não tem um início definido. Alguns pesquisadores e estudiosos apontam Euclides da Cunha como o responsável, a partir de sua publicação do livro “Os Sertões”, que originalmente foi produzido para o jornal O Estado de São Paulo e tornou-se um relato profundo da realidade.

Em 1966, foi lançada pela editora Abril a revista Realidade, o primeiro veículo a apresentar características do jornalismo literário. A revista contava com reportagens ousadas e inovadoras produzidas por grandes jornalistas como José Hamilton Ribeiro, Roberto Freire e José Carlos Maranhão.

Nos jornais impressos, as colunas opinativas, artigos, crônicas, e todo o segmento desse gênero jornalístico, são as únicas coisas que talvez diferem o impresso do on-line, o que faz com que as pessoas ainda comprem os jornais para ver algo “novo” e diferente do que já leram na internet. Afinal, o leitor já se deparou com aquela notícia no mínimo duas vezes no dia anterior, antes de comprar o impresso.

– Trechos retirado do tcc
FILMES DA TRILOGIA X DIRIGIDOS POR TI WEST Filmes originais da Netflix que são adaptações literárias Livros com o casal Ídolo e Fã! Filmes que são Dark Fantasy 6 livros da editora Intrínseca para o Dia Internacional da Mulher Histórias de Akira Toriyama Livros com o casal Grumpy x Sunshine FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO FILMES DE ANIMAÇÃO QUE TAMBÉM SÃO COMÉDIAS ROMÂNTICAS LIVROS SOBRE MITOLOGIA GREGA, ALÉM DE PERCY JACKSON LIVROS QUE LEMBRAM “TODOS MENOS VOCÊ” ONDE ASSISTIR OS INDICADOS AO OSCAR 2024? LANÇAMENTOS DA EDITORA ALT EM 2024 Livros que serão adaptados em 2024 Contos natalinos para você ler no Kindle Unlimited Willy Wonka: Conheça as versões do personagem Expansão “Aluga-se” do The sims 4: O que esperar?