Veja mais de a segunda temporada de "Bridgerton"

a segunda temporada de "Bridgerton"

Depois mais de um ano de espera, a segunda temporada de “Bridgerton” já está entre nós, e viemos comentar nossas primeiras impressões. A série original da Netflix é adaptada dos livros de mesmo nome de Julia Quinn e produzida por Shonda Rhimes. Ainda mais, nos novos episódios, a produção se aprofunda na vida romântica de Anthony Bridgerton que nessa busca terá que escolher entre a razão e o coração. Mas, será que realmente é bom? Vamos descobrir através da análise:

Veja também: Séries para quem está com saudades de Bridgerton

O início para um grande evento:

O primeiro episódio da temporada de “Bridgerton” é intitulado de “Um Grande Libertino”, devido a decisão de busca pela esposa perfeita para Anthony Bridgerton. No entanto, puramente para cumprir seus deveres sociais; não por acaso, o visconde faz questão de dizer aos quatro ventos que o amor não fará parte de seu matrimônio. Ao longo da narrativa, vemos o protagonista investigando e aumentando sua busca pela perfeita mulher. E ainda se recusando a dar ouvidos aos comentários dos demais semelhantes para analisar mais sua decisão. Com toda a certeza, essa é uma das principais características que irá modificar e será analisado durante a produção. Incluindo questionamentos sobre o passado e o presente.

É nessas condições que Anthony cruza o caminho de duas novas damas: Kate (Simone Ashley) e Edwina Sharma (Charithra Chandran), recém-chegadas da Índia. Ele decide cortejar a caçula Edwina, mas Kate, ciente de suas intenções, desaprova a união. Logo nesse contexto, vemos um pouco das personalidade das personagens novos e algumas de suas questões internas. Desde a preocupação pelo marido ideal até entender qual é, de fato, sua busca pelo o que realmente quer no mundo. Enquanto aos demais, recebemos uma época de muita profundidade, no qual mostram suas vulnerabilidades e novos lados de suas personalidades. Ou seja, mais riqueza nos detalhes e mais aproximação na realidade.

Cena da a segunda temporada de "Bridgerton"
Kate (Simone Ashley) e Edwina Sharma (Charithra Chandran) na segunda temporada de “Bridgerton”

Primeiras impressões:

Diante de tudo o que foi contado, temos uma temporada promissora entre nós. Além de termos arcos de personagens dinâmicos e interessantes, é nítido que a construção de cada um será mais demorada. Tanto que o ritmo com que o enlace se desenvolve é consideravelmente mais lento em relação ao do ano anterior. Algo que  que pode frustrar alguns espectadores. Mas a história tem ganchos instigantes, e ajuda que os três protagonistas sejam muito bem defendidos por seus intérpretes.

A trama aproveita a garantia da popularidade e se leva mais a sério, dando mais destaque e tempo de tela a cada um que aparece na história. Claro que muito dos elementos que fizeram o público se apaixonar por “Bridgerton” seguem firmes e fortes. Dessa forma, há bailes grandiosos, belos figurinos, intrigas, trilha sonora marcante e muita fofoca. Mas a segunda temporada prova que a série também consegue amadurecer e trazer novidades ao público. É claro que ainda temos bastante conteúdo para comentar. Porém, esse é o início para uma nova oportunidade.

 

FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO FILMES DE ANIMAÇÃO QUE TAMBÉM SÃO COMÉDIAS ROMÂNTICAS LIVROS SOBRE MITOLOGIA GREGA, ALÉM DE PERCY JACKSON LIVROS QUE LEMBRAM “TODOS MENOS VOCÊ” ONDE ASSISTIR OS INDICADOS AO OSCAR 2024? LANÇAMENTOS DA EDITORA ALT EM 2024 Livros que serão adaptados em 2024 Contos natalinos para você ler no Kindle Unlimited Willy Wonka: Conheça as versões do personagem Expansão “Aluga-se” do The sims 4: O que esperar? A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes: vale a pena ver? Se o personagem do seu filme favorito fosse uma animação da Pixar Livros de Edgar Allan Poe em A Queda da Casa de Usher Músicas que falam sobre términos Livros com jogadores de futebol americano para você ler Livros do Grupo Editorial Record para o Dia das Crianças Conheça Cyberpunk 2077: Nenhum acaso