Conheça a área da Bienal do Livro 2023, o Artists Alley

Valorizando as histórias e as diferentes narrativas, independentemente da plataforma, mas sem perder de vista o livro como estrela para a formação de uma nação leitora, a 21ª Bienal do Livro Rio, maior festival de literatura, cultura e entretenimento do país – agora Patrimônio Cultural, abriu caminho em sua edição comemorativa de 40 anos para o Artists Alley, um espaço envolvente que celebra a fusão entre literatura e arte, e permite a interação por completo entre leitores e seus ilustradores e quadrinistas preferidos, desde seus processos criativos à habilidade de criação em primeira mão.  Com cerca de 30 estandes de autores independentes, o Artists Alley tem agitado a rua Z do Pavilhão Verde, onde está localizado.

Veja mais sobre o espaço da Bienal do Livro 2023 Artists Alley

Os artistas aprovaram a nova área da Bienal e já esperam que continue crescendo nas próximas edições. Além do Artists Alley, alguns dos expoentes da nona arte estão por todo lado na Bienal do Livro. A procura por quadrinhos está em alta. A Comix BookShop sempre foi o ponto de referência no evento e esse ano não foi diferente. O estande fica no Pavilhão Verde tem tido boa movimentação desde os primeiros dias do evento.  Os mangás são os mais procurados no estande, especialmente pelos leitores mais jovens. Títulos como “One Piece”, “Demon Slayer” e “Jojo’s Bizarre Adventure” estão na listados mais vendidos.

+ Leia também: Histórias e o crescimento das Webcomics com Monge Han

No Pavilhão Azul, a Companhia das Letras – que recentemente adquiriu a JBC (Japan Brazil Communication), editora referência em mangás no mercado editorial brasileiro – tem percepção igual. A Panini, no mesmo pavilhão, também registrou grande procura por mangás como “One Piece”, “Blue Lock” e“Chainsaw Man”. Mas, apesar da febre dos quadrinhos japoneses, o pódio das vendas na editora — ao menos nos primeiros quatro dias de festival — foi 100% da Turma da Mônica, que completa 60 anos em2023. O quadrinho mais vendido no estande da editora é o “Cebolinha: 1973”, uma edição com as primeiras tirinhas do personagem de Mauricio de Sousa.

Uma mão segurando artes dos artistas que estão na Bienal. Uma da Wandinha, Pokemon, cogumelos do Mario e arte ilustrada do livro Lore Olympus
Alguns dos trabalhos de @casualmoon_ilustra e @studioduas2

Alguns artistas que estão no espaço Artists Alley

Julia Andrade – @ilustrajubalu

Yasmin Hassegawa – @yashassegawa

Cecília Ramos – @cartumante

Um Sábado Qualquer – @umsabadoqualquer

Rafa – @angulodevista

Téo & O Mini Mundo – @teoeominimundo

Luciana Duarte – @casualmoon_ilustra

Studio Duas – @studioduas2

Você pode conferir outros artistas clicando no link!

FILMES DIRIGIDOS POR HAYAO MIYAZAKI NO STUDIO GHIBLI LANÇAMENTOS IMPERDÍVEIS DA EDITORA VERUS NO MÊS DE FEVEREIRO FILMES DE ANIMAÇÃO QUE TAMBÉM SÃO COMÉDIAS ROMÂNTICAS LIVROS SOBRE MITOLOGIA GREGA, ALÉM DE PERCY JACKSON LIVROS QUE LEMBRAM “TODOS MENOS VOCÊ” ONDE ASSISTIR OS INDICADOS AO OSCAR 2024? LANÇAMENTOS DA EDITORA ALT EM 2024 Livros que serão adaptados em 2024 Contos natalinos para você ler no Kindle Unlimited Willy Wonka: Conheça as versões do personagem Expansão “Aluga-se” do The sims 4: O que esperar? A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes: vale a pena ver? Se o personagem do seu filme favorito fosse uma animação da Pixar Livros de Edgar Allan Poe em A Queda da Casa de Usher Músicas que falam sobre términos Livros com jogadores de futebol americano para você ler Livros do Grupo Editorial Record para o Dia das Crianças Conheça Cyberpunk 2077: Nenhum acaso